CAN 2019: África prepara-se para jornada decisiva | MEDIATECA | DW | 14.02.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

MEDIATECA

CAN 2019: África prepara-se para jornada decisiva

Mais países e uma nova data para a fase final: as opções da CAF para a Taça de África das Nações projetam uma competição mais forte e virada para o mundo.

Africa Cup of Nations 2017 Riyad Mahrez (Getty Images/AFP/K. Desouki)

A Argélia de Mahrez, Slimani, Bentaleb, Feghouli e Brahimi já está apurada, e será uma forte candidata ao título

É a primeira edição da Taça de África das Nações com 24 países na fase final, numa decisão da Confederação Africana de Futebol (CAF) que visa aumentar a possibilidade de qualificação de países habitualmente fora do grande "rendez-vous” continental, ao mesmo tempo que, com o aumento do número de jogos e de dias de competição, motiva adeptos e chama novos patrocinadores.

Mohamed Salah Ägypten Fußball

Mohamed Salah, jogador do Liverpool e da seleção egípcia, é uma das estrelas atuais do futebol africano. Jogará em casa a fase final da CAN 2019

Novas datas, maiores desafios

Mas a prova que se realizará no Egito, de 21 de junho a 19 de julho, é igualmente a primeira fase final no verão do hemisfério norte. Trata-se de uma "reivindicação" antiga dos principais clubes europeus que, anteriormente, se viam privados de alguns dos seus melhores jogadores africanos em pleno "pico" da época desportiva (janeiro e fevereiro). Agora, com a fase final da CAN a adequar-se a outras grandes competições internacionais (como o Mundial, o Europeu ou a Copa América), os futebolistas dos países finalistas podem concluir a temporada nos respetivos clubes e só depois rumar à preparação das seleções nacionais.

A uma jornada do final da fase de qualificação, e beneficiando do facto de os dois primeiros classificados de cada um dos doze grupos garantirem o apuramento, há já contas feitas e algumas seleções a preparar a viagem ao país dos faraós, dentro de quatro meses. Senegal, Madagáscar (o que sucede pela primeira vez na história), Marrocos, Mali, Argélia, Nigéria, Guiné, Mauritânia, Tunísia, Egito e Uganda podem fazer as malas e definir estratégias. Mas há ainda decisões a tomar, adiadas para a última ronda de qualificação, dentro de um mês.

Russland Fußball WM 2018 | John Obi Mikel - Group D - Nigeria vs Argentina

John Obi Mikel quer comandar a Nigéria num regresso em força aos grandes palcos do futebol africano

PALOP com possibilidades de apuramento

Guiné-Bissau ("Djurtus") e Moçambique ("Mambas") jogam uma autêntica final no estádio 24 de setembro, em Bissau. Um dos países de língua portuguesa estará seguramente na fase final. Mas apenas um, e se o empate serve os interesses dos "djurtus", os "mambas" sabem que terão de ganhar fora de portas para carimbar o passaporte. Baciro Candé e Abel Xavier são selecionadores apostados em levar as respetivas equipas ao Egito, e o facto de terem chegado ao último jogo com possibilidades de qualificação sublinha as boas carreiras das duas seleções.

Fussballspiel Guinea Bissau - Zambia

Assim será o ambiente em Bissau, a 22 de março, para o Guiné-Bissau-Moçambique: uma final para dois PALOP

Já Angola ("Palancas Negras") depende de si própria para ficar apurada: basta à seleção orientada por Srdjan Vasiljevic vencer em Gaborone a sua congénere do Botswana, última classificada do grupo I. O Burkina Faso é o outro candidato ao segundo posto, mas a formação orientada pelo português Paulo Duarte não depende apenas de si na receção à Mauritânia: terá de vencer e esperar que o combinado angolano não o faça no Botswana.

Emoção até ao fim também não faltará a Cabo Verde ("Tubarões Azuis"), que parte com um ponto a menos do que a Tanzânia para a sexta jornada. A seleção de Rui Águas recebe, na Praia, o Lesoto, enquanto os tanzanianos jogam com o já qualificado Uganda. A equipa cabo-verdiana tem de vencer o seu jogo, aguardando que a Tanzânia não o faça, ou, no limite, empatar frente ao Lesoto, se o Uganda vencer em Dar es Salam. Contas complicadas (mas não impossíveis) para a seleção do arquipélago da Macaronésia.

Cinco cidades, oito estádios, 52 jogos

BG Confed Cup 2017 | Jacques Zoua küsst den Afrika-Cup-Pokal

Os Camarões venceram, no Gabão, a CAN 2017, e surgem agora como adversário a abater

A fase final da CAN 2019 realiza-se no Egito, depois de a organização ter sido retirada aos Camarões, por incumprimento dos prazos de modernização de alguns dos estádios indicados.

A federação egípcia surge, assim, como recurso e indicou cinco cidades como sedes da competição: Alexandria, Cairo e Suez, com dois estádios cada, e Port Said e Ismailia, cada qual com o seu recinto. No total, jogar-se-ão 52 partidas ao longo de 29 dias, com o jogo inaugural e a final a terem lugar no estádio Internacional do Cairo, com capacidade para 74.100 espetadores. O vídeo-árbitro (VAR) será utilizado a partir dos oitavos de final (portanto, nos últimos 16 jogos do torneio).

Leia mais