Cabo Verde: Janira Hopffer Almada concorre sozinha à presidência do PAICV | Cabo Verde | DW | 08.12.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cabo Verde

Cabo Verde: Janira Hopffer Almada concorre sozinha à presidência do PAICV

José Sanches não avançou com candidatura a presidente do maior partido da oposição. Deputado do PAICV alega estar em curso um "golpe de assalto" à liderança do partido. Janira Hopffer Almada recandidatou-se ao cargo.

Janira Hopffer Almada, Präsidentin von PAICV (DW/N. dos Santos)

Janira Hopffer Almada

José Sanches havia anunciado a intenção de concorrer às eleições direitas para a presidência do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), liderado por Janira Hopffer Almada, que na sexta-feira (06.12) formalizou a recandidatura ao cargo que ocupa desde 2014.

No sábado (07.12), último dia para apresentação de listas candidatas às eleições diretas de 22 de dezembro, e após um encontro com militantes e apoiantes durante a manhã, na Praia, e outro na sexta-feira, na ilha de São Vicente, o deputado do partido anunciou que não vai a votos.

"Acharam [no encontro com os apoiantes] por bem que nós não devemos legitimar esta farsa que está a acontecer, que se convencionou chamar eleições internas do PAICV", afirmou à agência Lusa José Sanches, crítico da liderança de Janira Hopffer Almada.

Alegado "golpe”

Segundo o deputado do PAICV, as eleições foram "antecipadas" para este mês, contrariamente aos estatutos do partido, que definiam que deviam acontecer em janeiro.

Além disso, referiu, também condicionando a preparação da sua candidatura, foi-lhe "sonegada" a base de dados atualizada dos militantes do PAICV e foi reduzido o número de delegados a eleger ao congresso que se segue às diretas.

"Não se está a respeitar os estatutos, é um golpe de assalto ao partido", afirmou, denunciando que neste processo eleitoral "não há transparência, igualdade de oportunidades entre candidatos e democracia interna".

Assistir ao vídeo 01:39

Cabo Verde: Com música pelo sucesso na escola

Falta de união

Para José Sanches, este processo eleitoral vai culminar "sem as condições necessárias para unir o partido", que assumiu a governação em Cabo Verde pela última vez no período de 2001 a 2016.

"Isto não é uma eleição, é um plebiscito [à liderança de Janira Hopffer Almada]", enfatizou José Sanches, prometendo, ainda assim, que vai permanecer na Assembleia Nacional.

"Vou continuar como deputado do PAICV, a lutar contra a desgovernação do MpD [Movimento para a Democracia,  partido no poder] a nível nacional e também contra o assalto que estão a fazer à liderança do partido [PAICV]", rematou.

As eleições diretas para a presidência do PAICV estão agendadas para 22 de dezembro e o prazo para a entrega de candidaturas terminou às 18 horas deste sábado, seguindo-se o XVI congresso ordinário, de 31 de janeiro a 2 de fevereiro de 2020, para eleger os novos órgãos do partido.

A lista liderada por Janira Hopffer Almada é, assim, a única candidata a apresentar-se a votos nas eleições diretas para a presidência do PAICV.

O dossiê de candidatura de Janira Hopffer Alanda, subscrito por 7.596 militantes do partido no país e na diáspora (os regulamentos do partido exigem um mínimo de 300 assinaturas), deu entrada na sexta-feira, na Comissão Nacional de Jurisdição e Fiscalização do partido, e inclui ainda a moção estratégica de orientação política a levar ao congresso e uma lista com 171 delegados.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados