Cabo Verde: Candidatos às eleições presidenciais confiantes na vitória | Cabo Verde | DW | 15.10.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cabo Verde

Cabo Verde: Candidatos às eleições presidenciais confiantes na vitória

Os cabo-verdianos escolhem no próximo domingo (17.10) o novo Presidente da República. Na corrida eleitoral estão sete candidatos, entre os quais, os antigos primeiros-ministros Carlos Veiga e José Maria Neves.

Debate with candidates for presidential elections in Cape Verde

Debate televisivo com os sete candidatos às presidenciais de 17 de outubro

Sete candidatos para um único lugar. Durante duas semanas, percorreram Cabo Verde de uma ponta à outra na caça ao voto. A campanha eleitoral termina esta sexta-feira (15.10) e, na hora do balanço, todos dizem que vão ganhar.

O jurista e antigo primeiro-ministro Carlos Veiga é um dos não têm dúvidas. "Sinto-me muito bem apoiado, sinto uma força cada vez maior e estou contente pela forma como a campanha decorreu. Foi uma campanha alegre, bem-humorada e mobilizadora", afirmou.

Carlos Veiga - candidate for presidential elections in Cape Verde

Na hora do balanço, o jurista e antigo primeiro-ministro Carlos Veiga não tem dúvidas da sua vitória

"De todas as vezes que fomos a uma localidade, sentimos a onda da vitória a aumentar e estamos convencidos que vamos ganhar no domingo. O desejável é que tudo fique resolvido já este domingo, mas quem decide isso são os eleitores", acrescentou.

Formado em Administração de Empresas, o antigo primeiro-ministro José Maria Neves diz que faltou debate e confronto de ideias durante a campanha, marcada, sobretudo, por marketing político.

"Um candidato a Presidente da República deve ser genuíno, autêntico. Deve apresentar e debater as suas ideias para que o povo saiba o que está a pensar de modo a fazer uma melhor escolha no dia 17. É fundamental haver debates e apresentação de ideias", salienta.

"Nova visão para o futuro"

O jurista Hélio Sanches, também candidato, considera-se já um vitorioso nesta corrida presidencial.

José Maria Neves , candidate for presidential elections in Cape Verde

José Maria Neves diz que faltou debate e confronto de ideias durante a campanha

"Estou satisfeito e já sinto a responsabilidade como o próximo Presidente da República. Estou preparado com energia e capacidade para ser o novo Chefe de Estado de Cabo Verde e para ajudar o meu país, que precisa de mim agora mais do que nunca. Cabo Verde precisa de um novo líder com uma nova visão para o futuro".

O jurista e professor universitário Casimiro de Pina diz-se convicto numa vitória expressiva este domingo.

"Estou convicto e sempre fui convicto nos valores que defendi, nos valores supremos da República com base na minha luta pela afirmação dos direitos fundamentais e da Constituição. E é por isto que estou confiante que os cabo-verdianos vão dar-me uma grande vitória e uma grande votação no dia 17 de outubro", frisa.

"Grande surpresa"

No domingo, haverá uma grande surpresa. Esta convicção é do candidato Gilson Alves ao fazer o balanço da campanha eleitoral.

"Nós sabemos dos constrangimentos. Nós não temos a máquina partidária, mas eu tenho a sensação de que o que nos espera é uma grande surpresa que ainda ninguém viu e que só será vista nas urnas. Isto enche-me de esperança. Eu acho que tenho um bom instinto para ver coisas que as outras pessoas não veem", garante.

Também o combatente da liberdade da pátria Joaquim Jaime Monteiro mostra-se convicto de que vai ser o próximo Presidente da República.

"Pelos indicadores que tenho e pela minha experiência só com a alta traficância instalada em Cabo Verde de compra de votos que dará vitória a um outro candidato", disse.

Para o engenheiro naval Fernando Rocha Delgado a experiência tem sido positiva. "A mensagem passou, os jovens receberam-me com agrado, muitos estão a aplaudir-me, os que me criticam são os que estão atrelados aos partidos políticos. É uma experiência positiva e sem dúvida já ganhei".

Campanha sem sobressaltos

A campanha decorreu sem sobressaltos, segundo a presidente da Comissão Nacional de Eleições, Maria do Rosário Pereira.

Kap Verde Präsidentschaftswahl | Gilson Alves

"No domingo, haverá uma grande surpresa", candidato Gilson Alves

"A primeira avaliação que fazemos da campanha é positiva, não tem havido percalços de maior que põe em causa o direito da liberdade de expressão dos candidatos. Isto é muito importante numa campanha eleitoral, que todos os candidatos tenham a liberdade de deslocarem-se, de abordar os eleitores e passarem as suas mensagens", explica.

As eleições presidenciais em Cabo Verde têm tido sempre altas taxas de abstenção. Em 2016, o índice foi de 64,3%. Cerca de 400 mil eleitores estão inscritos para votar nestas eleições, sendo 343 mil no país e 56 mil na diáspora.

Jorge Carlos Fonseca, que cumpre o segundo e último mandato como Presidente da República, apela a todos os eleitores para irem votar. "Todos devem ir votar e não deixar que os outros escolham por ele. Quanto mais se vota mais se participa tanto melhor", deixa o repto.

As eleições presidenciais cabo-verdianas vão ser acompanhadas por 104 observadores internacionais, sendo 71 da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), 30 da União Africana e três, dos EUA.

A votação ocorre das 7h às 18h, no horário local. Caso nenhum candidato consiga a maioria dos votos no domingo, a segunda volta, com os dois mais votados, está agendada para 31 de outubro.

Leia mais