Cabo Delgado: Insurgentes invadem ilha de Matemo | NOTÍCIAS | DW | 17.03.2022

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Cabo Delgado: Insurgentes invadem ilha de Matemo

Polícia da República de Moçambique anunciou a morte de 10 atacantes em confrontos entre as FDS e o grupo que "aterrorizou a população" em Matemo. Autoridades tentam localizar insurgentes que se infiltraram na comunidade.

Foto de arquivo: Ilha de Matemo

Foto de arquivo: Ilha de Matemo

Terroristas invadiram na quarta-feira (16.03) a ilha de Matemo, pertencente ao distrito da ilha do Ibo, no arquipélago das Quirimbas, em Cabo Delgado, anunciou a Polícia da República de Moçambique (PRM) na província do norte do país.

"Os terroristas irromperam pela ilha de Matemo, onde aterrorizaram a população. As Forças de Defesa e Segurança [FDS] tomaram conhecimento e imediatamente foi destacada uma força aérea e marítima para o local, onde travaram fortes combates", adiantou o porta-voz da PRM em Cabo Delgado, Ernesto Madungue, em conferência de imprensa, esta quinta-feira (17.03).

Segundo a PRM, 10 insurgentes morreram em 24 horas de confrontos e diverso equipamento militar usado pelos atacantes foi apreendido na contraofensiva das Forças de Defesa e Segurança (FDS).

Não há dados sobre os danos causados à população durante o ataque. O porta-voz da PRM em Cabo Delgado frisou que a pronta intervenção da Força Aérea e da marinha de guerra de Moçambique estacionada norte de Cabo Delgado evitou que os terroristas alastrassem as suas ações.

Terroristas entre os residentes

Mosambik Ernesto Madungue

Ernesto Madungue

No entanto, as FDS não conseguiram evitar que os insurgentes se infiltrassem nas comunidades: "Terroristas continuam na ilha, fazendo-se misturar com a população, razão pela qual as FDS continuam no local para clarificar a situação", afirmou Ernesto Madungue.

A PRM lança, por isso, um apelo à população "para que continue a colaborar com as FDS nesta operação" e exorta "a todos os pescadores e aqueles que têm feito a navegação marítima para que neste momento não vão para aquela zona até que a situação esteja clarificada".

O comando provincial não avançou detalhes sobre a origem dos atacantes, remetendo informações para mais tarde: "É sabido que estamos com a situação de terrorismo na nossa província. As FDS estão a garantir a segurança da população naquele ponto. Questões como esta, a posteriori, serão clarificadas.

Assistir ao vídeo 00:40

Imagens das tropas sul-africanas em Cabo Delgado

Leia mais