Bissau: Visita de Macron é ″fruto da estabilidade″, diz PM | NOTÍCIAS | DW | 27.07.2022

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Bissau: Visita de Macron é "fruto da estabilidade", diz PM

O primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Nuno Nabiam, defende que a visita do Presidente de França, Emmanuel Macron, se deve ao "progresso que o país está a viver" neste momento.

"Quero aqui expressar o meu contentamento com esta visita de [Emmanuel] Macron à Guiné-Bissau. É a primeira vez que um chefe de Estado francês visita a Guiné-Bissau, mas não só. É a primeira vez que um grande dignitário como Macron visita a Guiné-Bissau", observou o chefe do Governo esta quarta-feira (27.07).

Além de motivo de orgulho para os guineenses, sobretudo a classe política atual, o primeiro-ministro considera a visita do Presidente francês um sinal de que a Guiné-Bissau está no rumo do progresso.

Emmanuel Macron

Emmanuel Macron, Presidente da República de França

"Nós sabemos que a Guiné-Bissau é um país que conheceu sobressaltos ao longo dos 50 anos da independência e isso prejudicou de certa forma a Guiné-Bissau. Com esta visita de Macron, por um lado justifica a estabilidade e o progresso que o país está a ganhar, mas também é para dizer que o alcance do nosso Presidente a nível diplomático é visível", sublinhou Nabiam.

Encontro histórico

O Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, assumiu a 3 de julho, por um período de um ano, a presidência rotativa da Comunidade Económica de Estados da África Ocidental (CEDEAO).

Para o primeiro-ministro, "o cargo tem proporcionado benefícios à Guiné-Bissau", nomeadamente, a visita do Presidente de França.

"Como presidente em exercício da CEDEAO, eu penso que há todo o interesse do Presidente Macron em se encontrar com o Presidente Umaro Sissoco Embaló", afirmou Nuno Nabiam.

Präsident von Guinea-Bissau, Umaro Sissoco Embaló

Nuno Nabiam, primeiro-ministro (esq.), e Umaro Sissoco Embaló, Presidente da República (dta.)

Questionado sobre se tratará com Emmanuel Macron algum dossier em especial, em nome do Governo, o primeiro-ministro guineense disse que a visita é de trabalho entre os dois chefes de Estado, mas que irá acompanhar de perto.

Macron chega esta quarta-feira (27.07) à noite a Bissaupara aquela que será a primeira visita oficial de um chefe de Estado de França à Guiné-Bissau. O chefe de Estado francês será recebido no Aeroporto Osvaldo Vieira, na capital guineense, pelo seu homólogo da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló.

Na quinta-feira de manhã, Macron e Embaló presidem a uma reunião entre as delegações dos dois países, no Palácio da Presidência. A seguir, o Presidente francês manterá encontros de trabalho com os ministros guineenses dos Negócios Estrangeiros, Suzi Barbosa, da Defesa, Marciano Barbeiro, e das Finanças, Ilídio Vieira Té.

Reflexões Africanas: As ameaças à democracia da Guiné-Bissau

Leia mais