Búzi: Aumentam casos de malária e doenças diarreicas | Moçambique | DW | 21.04.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Búzi: Aumentam casos de malária e doenças diarreicas

Nas últimas três semanas, duplicou o número de casos de malária na localidade de Guara-Guara no distrito de Búzi, província de Sofala, Moçambique. Em toda a província já são mais de 10 mil casos da doença.

Centro de Saúde de Guara-Guara, em Búzi

Centro de Saúde de Guara-Guara, em Búzi

Os números de casos de malária estão a preocupar as autoridades na província de Sofala, no centro de Moçambique. Só o centro de saúde de Guara-Guara, no distrito de Búzi, está a diagnosticar diariamente cerca de 25 pessoas com a doença. Casos de doenças diarreicas com febres constantes são também recorrentes desde a passagem do ciclone Idai.

A informação foi avançada à DW África pelo diretor daquela unidade sanitária. Segundo Cândido Artur, "depois da passagem do ciclone, os casos de malária tendem a aumentar". E em comparação aos meses antes do ciclone, há um aumento de mais ou menos 25 casos por dia de malária naquela região.

Ouvir o áudio 02:23

Búzi: Aumentam casos de malária e doenças diarreicas

Alguns cidadãos ouvidos pela DW África assumem não usar redes mosquiteiras nem repelentes contra mosquitos e pedem ao Governo e parceiros mais apoios, como a distribuição de redes mosquiteiras. As que tinham foram arrastadas pelo ciclone e inundações.

Sem redes mosquiteiras

Elisa Joaquim aguarda a vez na fila do hospital. O filho foi diagnosticado com malária e ela e a vizinha apresentam sintomas de diarreia severa. 

"As nossas casas acabaram de cair, as nossas redes mosquiteiras rasgaram-se e outras foram arrastadas com as águas. Tínhamos recebido as redes, mas com as inundações tornou-se tudo complicado. Na minha zona, por exemplo, são muitos que estão doentes, com malária, diarreia e febres", relata.

O diretor do centro de saúde de Guara-Guara refere que por de trás destes casos de doença está a grande quantidade de água estagnada na povoação, criando charcos propícios ao desenvolvimento do mosquito causador da malária. Cândido Artur apela, por isso, à eliminação desses charcos.

A povoação de Guara-Guara com mais de sessenta mil habitantes, situada a oeste da cidade da Beira, capital de Sofala, foi severamente fustigada pelo ciclone e posteriores inundações. Situada na zona pantanosa do centro de Búzi, Guara-Guara produzia, normalmente, mais de oitenta mil toneladas de cereais por época.

Estima-se que mais de duas mil famílias tenham sido diretamente afetadas por aquele fenómeno natural. A maior parte da população ainda vive na tribuna da localidade aguardando a atribuição de espaços pelo Governo.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados