Autoridades avisam: ″Não se exponham a atacantes em Cabo Delgado!″ | Moçambique | DW | 09.03.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Autoridades avisam: "Não se exponham a atacantes em Cabo Delgado!"

77 jovens foram detidos desde o final de fevereiro na província de Nampula, suspeitos de serem recrutados para ataques em Cabo Delgado. Entretanto, foram libertados. Mas autoridades alertam: "Atenção à reincidência!"

Mosambik, Cabo Delgado: Soldat in Naunde

Militar vasculha aldeia atacada por insurgentes em Cabo Delgado

Mais de 300 jovens da província de Nampula já foram detidos desde 2019, suspeitos de serem recrutados por insurgentes de Cabo Delgado. A polícia aponta a província mais populosa de Moçambique como um dos maiores centros de recrutamento de jovens para incorporar as fileiras dos insurgentes.

Somente do final de fevereiro a março, a polícia deteve 77 jovens em grupos que supostamente seguiriam a Cabo Delgado por motivos considerados "estranhos", que despertaram a suspeita das autoridades.

Ouvir o áudio 02:40

"Não se exponham a atacantes em Cabo Delgado!"

No último sábado, o comandante Provincial da Polícia de Moçambique em Nampula, Moisés Gueve, apresentou um grupo dos jovens supostamente recrutados e que teriam invocado várias razões para se deslocarem a Cabo Delgado.

"Temos o grupo que vem de Eráti, eles foram encontrados quando seguiam para Cabo Delgado, para garimpar. Temos um grupo de 25 que tentava ir a Cabo Delgado para a prática da atividade de garimpo e comercialização. E tínhamos o grupo que vinha do Niassa [do distrito vizinho de Cuamba] para ir fazer um estudo bíblico [na igreja Arco Íris, em Cabo Delgado]", disse Gueve.

Jovens negam envolvimento

Os indiciados negam qualquer envolvimento no suposto recrutamento. Os suspeitos foram detidos para averiguação e depois postos em liberdade. Os jovens começaram, entretanto, a regressar às suas residências com a proteção de agentes da polícia.

O secretário do Estado da província de Nampula, Mety Gondola, aconselhou os jovens a distanciarem-se de tudo o que está ligado aos ataques em Cabo Delgado e alertou para as duras sanções de que as pessoas que aderirem à insurgência podem ser alvo.

Rekrutierung von Terroristen in Nampula Mety Gondola

Gondola aconselhou os jovens a distanciarem-se de tudo o que está ligado aos ataques

"Aquele que for encontrado numa segunda via já sabe qual é a sorte que vai ter. Não vai ser tratado desta forma que estão a ser tratados. Atenção à reincidência! Está a se abrir um espaço para que regressemos às nossas casas, mas não nos juntemos mais a movimentos estranhos. Levem essa mensagem aos vossos familiares, vizinhos e amigos. Cuidado! Não se exponham nesses movimentos", disse.

A província de Cabo Delgado tem sido alvo de ataques de grupos armados, que organizações internacionais classificam como "ameaça terrorista" e que, em dois anos e meio, já fizeram, pelo menos 350 mortos.

Estima-se que mais de 156 mil pessoas foram afetadas, com perda de bens ou obrigadas a abandonar casa e terras em busca de locais seguros.

Leia mais