Autárquicas em Moçambique: Embaixada dos EUA preocupada com irregularidades | NOTÍCIAS | DW | 16.10.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Autárquicas em Moçambique: Embaixada dos EUA preocupada com irregularidades

A embaixada norte-americana congratula o povo moçambicano pela participação nas eleições de 10 de outubro, mas aponta necessidade de "resolução transparente" de irregularidades verificadas em algumas autarquias.

Segundo a embaixada dos Estados Unidos da América (EUA) em Moçambique, com base no trabalho dos seus observadores credenciados, "o processo de votação parece ter sido, na generalidade, livre, justo e credível na maioria das 53 autarquias existentes".

No entanto, num comunicado divulgado esta segunda-feira (15.10), as autoridades norte-americanas dizem estar "preocupadas com as irregularidades registadas em algumas autarquias", lembrando que "há mecanismos legais para investigar as reclamações eleitorais". No comunicado, a embaixada frisa ainda que "uma resolução transparente, expedita e pacífica destas questões (…) vai ajudar a fortalecer a confiança no processo eleitoral".

A embaixada norte-americana aponta "alguns incidentes isolados", mas diz que a campanha e o dia de eleições foram, no geral, pacíficos. Saúda também a cobertura jornalística do processo eleitoral, as organizações da sociedade civil "pelos seus esforços coordenados para observar a campanha e as eleições" e os funcionários das assembleias de voto pelo trabalho "contínuo e incansável".

Lições para o futuro

A rematar a declaração sobre as autárquicas de 10 de outubro, a embaixada dos EUA deixa um recado: encoraja "a Comissão Eleitoral e outros atores, incluindo os partidos políticos que participam no trabalho destes órgãos eleitorais" a aplicarem as lições tiradas destas eleições nos esforços para melhorar os processos eleitorais.

"Tais medidas vão reforçar ainda mais a fé dos moçambicanos na sua democracia e na paz sustentável para a qual todos os partidos trabalharam de forma tão árdua", conclui o documento.

Leia mais