Aumentam internamentos de homens com tuberculose em Bissau | Guiné-Bissau | DW | 23.08.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Guiné-Bissau

Aumentam internamentos de homens com tuberculose em Bissau

Enquanto os casos de tuberculose em crianças e mulheres diminuem, aumenta o número de internamentos de homens com a doença no Hospital Raoul Follereau, na Guiné-Bissau. Relutância em ir ao médico é um problema.

Entre as 86 pessoas internadas com tuberculose no Hospital Raoul Follereau, o único centro especializado para o tratamento da doença, na Guiné-Bissau, 46 são homens. O número tem aumentado nos últimos tempos, segundo a organização não-governamental italiana Ajuda à Saúde e Desenvolvimento (AHEAD), que gere o hospital.

"A taxa de internamento das mulheres e das crianças baixou um bocado. O que está a aumentar são os internamentos de homens. Tivemos que emprestar alguns quartos destinados a crianças", afirma Mama Saliu Sanhá, representante da AHEAD e responsável pelo centro de tratamento de tuberculose de Bissau.

Grande parte dos homens internados são jovens entre os 18 e os 35 anos. "É isso que nos preocupa bastante", afirma Saliu Sanhá.

Guinea-Bissau Moreira Sarmento Mendes, Leiter des Krankenhauses Raoul Follereau in Bissau

"É preciso sensibilizar as pessoas doentes para que venham ao centro", afirma diretor clínico Moreira Mendes

O que está por trás do aumento?

A relutância em ir ao centro de saúde logo que aparecem os primeiros sintomas é apontada como causa para o aumento do número de internamentos.

"Há pacientes que, quando têm sintomas, mesmo com duas semanas, não vêm ao hospital e, por isso, os números são elevados", refere Moreira Mendes, diretor clínico do Hospital Raoul Follereau.

"É preciso sensibilizar as pessoas doentes para que venham ao centro. É a única forma de estancar o número elevado de doentes, não só nos homens", acrescenta.

Sob gestão da AHEAD, o Hospital Raoul Follereau garante consultas, internamentos e tramentos gratuitos a pacientes com tuberculose, que também recebem cinco refeições por dia. O Governo guineense assegura o fornecimento de energia elétrica e medicamentos específicos para a tuberculose, através do Fundo Global.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados