Ataque no Níger mata dezenas de civis em dia de resultados de presidenciais | NOTÍCIAS | DW | 03.01.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Ataque no Níger mata dezenas de civis em dia de resultados de presidenciais

Mais de 50 civis morreram e 18 ficaram feridos num ataque realizado ontem (2.1) por homens armados na capital, Niamey, perto da fronteira com o Mali, avançou uma fonte do Ministério do Interior do país.

Niger Symbolbild Terror

Mais de 50 civis morreram e 18 ficaram feridos no ataque realizado por homens armados em Niamey (foto de arquivo).

Os homens armados, que pertencem alegadamente a um dos grupos 'jihadistas' que operam no Sahel,  atacaram a cidade de Tchomo- Bangou, na região de Tillabéri, localizada a cerca de 150 quilómetros de Niamey, e a cidade vizinha de Zaroumdareye, avançou a mesma fonte citada pela agência espanhola de notícias EFE.

Também a AFP refere a morte de "várias pessoas" por homens armados em Tchomo-Bangou, citando autoridades locais e referindo que o ataque aconteceu no dia em que foi anunciado oresultado da primeira volta das eleições presidenciais.

Agressores

"Os agressores cercaram a aldeia e mataram cerca de 50 pessoas. Os feridos foram levados para o hospital de Ouallam", acrescentou um jornalista de uma estação de rádio local, sob condição de anonimato.

De acordo com o jornalista, o ataque de Tchomo-Bangou aconteceu nas proximidades de Tongo Tongo, onde quatro soldados das forças especiais norte-americanas e cinco soldados nigerianos foram mortos numa emboscada, em outubro de 2017. Este ataque foi reivindicado pelo grupo do Estado Islâmico no Grande Saara.

Wahlen Niger Niamey | Präsidentschaftskandidat Mohamed Bazoum

Mohamed Bazoum

Resultados das presidenciais

Os primeiros resultados das presidenciais, realizadas em 27 de dezembro, mostram hoje uma grande vantagem (39,33%) de votos no candidato do partido no poder, Mohamed Bazoum, ex-ministro do Interior, que promete fortalecer a luta contra os grupos 'jihadistas'.

Há vários anos que o Níger - tal como os vizinhos Mali e Burkina Faso - é atormentado por ataques 'jihadistas' nas zonas oeste e sudeste, tendo já morrido centenas de pessoas no processo. A região de Tillabéri está localizada na zona das "três fronteiras" Níger-Mali-Burkina, frequentemente atacada por grupos 'jihadistas'.

Em maio passado, 20 pessoas, incluindo crianças, foram mortas em duas aldeias em Anzourou (região de Tillabéri) e há cerca de duas semanas, pelo menos 34 pessoas foram mortas e 100 outras ficaram feridas em Toumour, na região de Diffa (sudeste), perto da Nigéria, por membros do grupo 'jihadista' Boko Haram, de acordo com as autoridades.

Assistir ao vídeo 02:56

Nigéria: Como reintegrar ex-insurgentes do Boko Haram?