Angola: UNITA suspende três membros da Comissão Política | Angola | DW | 02.12.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Angola: UNITA suspende três membros da Comissão Política

A direção do partido suspendeu três membros da Comissão Política, incluindo José Pedro Katchiungo, que disputou a liderança do partido em 2019. Congresso do maior partido da oposição arranca esta quinta-feira (02.12).

UNITA

Bandeira da UNITA (imagem ilustrativa)

José Eduardo, Altino Kapango e Estêvão José Pedro Katchiungo, ex-candidato à liderança da UNITA, foram suspensos esta quinta-feira (02.12) pela Comissão Política da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA).

A decisão foi tomada na reunião estatutária que precede o XIII Congresso do partido do Galo Negro, principal força política da oposição angolana, agora dirigida por Isaías Samakuva, que esteve à frente da UNITA durante 16 anos e regressou na sequência do afastamento de Adalberto da Costa Juniór por força do acórdão do Tribunal Constitucional que anulou o congresso de 2019

"Depois de analisar e discutir várias informações apresentadas sobre a atuação de alguns membros da Comissão Política fora dos trâmites disciplinares do Partido, a Comissão Política decidiu, por votação secreta, com 150 votos a favor (85%), 20 votos contra (11%) e 6 abstenções (4%), suspender preventivamente, nos termos do número 1 do artigo 21º. dos Estatutos do Partido, os membros Estêvão José Pedro Katchiungo, José Eduardo e Altino Kapango", diz um comunicado.

Katchiungo disputou a corrida eleitoral à UNITA que Adalberto da Costa Junior venceu em 2019 sendo o menos votado entre os restantes candidatos (Adalberto Costa Júnior, Alcides Sakala, Abilio Kamalata Numa, Raul Danda), recolhendo apenas 10 votos.

Na terça-feira (30.11), Adalberto Costa Júnior tinha avisado que o conclave do partido iria tomar medidas severas contra os militantes que alegadamente criam instabilidade no partido.

"Tenho a certeza que o congresso vai nos permitir, sem dúvida nenhuma, fazer o realinhamento e meter na linha quem não conhece disciplina interna. E se alguém se for alinhar ao nosso adversário, certamente, o espaço de pertença ao partido é livre. E se o espaço da porta de saída não for livre, vamos tratar com excesso", avançou.

Congresso vai até sábado

Na terça-feira (30.11), a UNITA tinha já decidido suspender preventivamente outros sete militantes que recorreram ao Tribunal Constitucional (TC) para inviabilizar a data do congresso, que decorre a partir desta quinta.

Em causa está uma iniciativa de um grupo de militantes que pediu a impugnação do congresso junto da direção do partido do "Galo Negro" e acionou uma providência cautelar junto do TC, alegando que a marcação do conclave foi feita num clima de "intimidação, o que a UNITA rejeita.

Angola | Adalberto Costa Júnior

Evento de lançamento da candidatura de Adalberto Costa Júnior à liderança da UNITA

O XIII Congresso Ordinário arranca com um candidato apenas, com Adalberto da Costa Júnior a concorrer sozinho à presidência do partido, depois de destituído por imposição do Tribunal Constitucional.

O arranque dos trabalhos internos da primeira plenária está marcado para o início da tarde, com o relatório sobre a certificação dos mandatos dos delegados ao XIII Congresso Ordinário, a eleição do presidente do congresso, a constituição da mesa e aprovação da agenda do congresso ou a constituição das comissões especializadas e trabalho por comissões.

O segundo dia dos trabalhos reserva atividades por comissões, segundo plenário com o relatório dos trabalhos das subcomissões, leitura das conclusões e resoluções do XIII congresso e leitura e aprovação do comunicado final.

Para o último dia, acontece a eleição do presidente do partido, a eleição e tomada de posse da Comissão Política e na parte da tarde o anúncio dos resultados eleitorais, seguido da tomada de posse do presidente eleito, a leitura do termo de posse e juramento, discursos do presidente do congresso e do presidente cessante e discurso de encerramento do presidente eleito.

  

Assistir ao vídeo 01:39

Jovens angolanos contornam o desemprego

Leia mais