Angola tem caso suspeito de coronavírus | Angola | DW | 30.01.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Angola tem caso suspeito de coronavírus

Cidadão chinês teria chegado há pouco mais de 10 dias no país e apresentou no período sintomas de contaminação. Trata-se da primeira suspeita de paciente com coronavírus na África Austral.

Flughafen Luanda

Cidadão chinês chegou há 12 dias em Luanda

A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, confirmou o primeiro caso suspeito de coronavírus em Angola. Trata-se de um cidadão chinês que foi internado na clínica Girassol - uma instituição de saúde privada em Luanda. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (29.01) em conferência de imprensa na capital angolana.

Lutucuta informou que o paciente está em Angola desde 17 de janeiro e apresentou no período sintomas suspeitos, como febre alta e tosse. Os agentes de saúde buscam identificar pessoas que estiveram em contato com o paciente para realizar exames e averiguações. 

A ministra da Saúde pediu calma à população e garantiu que o sistema de saúde está preparado para atender a eventuais casos de contaminação. Além de acompanhar o estado de saúde do paciente, as autoridades sanitárias angolanas devem tornar público o desenvolvimento do caso. Este é o primeiro caso suspeito de contaminação por coronavírus na África Austral.

China Coronavirus

Coronavírus já matou ao menos 170 pessoas

O Governo angolano implementa ações preventivas e reforço da vigilância em aeroportos, portos, paragens de autocarro e fronteiras. As autoridades também anunciaram no início da semana que já realizaram mais de 1,6 mil verificações, mas até esta quarta-feira não avançaram sobre qualquer suspeita de contaminação por coronavírus.

O Ministério da Saúde prepara um Plano de Contingência par enfrentar casos que possam chegar a Angola.

Já o ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, disse que os representantes do Governo na China estão a acompanhar os cidadãos angolanos - cerca de 50 estão na cidade de Wuhan epicentro da epidemia.

"Os nossos representantes estão em permanente contato com a comunidade, particularmente os estudantes, que constituem matéria de preocupação. Nenhum angolano foi afetado ou infetado pelo coronavírus. Todos estão a seguir as instruções das autoridades chinesas no âmbito da quarentena decretada”, disse o ministro em conferência de imprensa divulgada pela agência Angola Press.

Segundo o último balanço oficial de Pequim, o novo coronavírus já fez 170 vítimas mortais em quase 8 mil casos confirmados. A Organização Mundial de Saúde convocou o Comité de Emergência para decidir se o surto deve ser declarado uma emergência de saúde pública internacional.