Angola: Situação de segurança na RCA debatida em Luanda | Angola | DW | 12.07.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Angola: Situação de segurança na RCA debatida em Luanda

Os presidentes de Angola e da República Centro-Africana (RCA) reuniram-se esta segunda-feira (12.07) em Luanda, onde debateram a situação de segurança na RCA. Tanto Lourenço como Touadera não falaram à imprensa.

Os presidentes de Angola, João Lourenço, e da República Centro-Africana (RCA), Faustin Touadera, reuniram-se esta segunda-feira (12.07), em Luanda para debater a situação de segurança neste país.

O encontro durou pouco mais de uma hora e não foram prestadas declarações à imprensa, segundo a agência de notícia angolana ANGOP.

A página oficial da Presidência angolana no Facebook salienta numa nota, a propósito do encontro, os "sérios desafios de segurança" que a RCA enfrenta "com numerosos grupos insurgentes a combater as autoridades".

"Um embargo de armas foi decretado contra o Governo [da RCA] há vários anos pela comunidade internacional e existe um esforço diplomático no âmbito da Conferência Internacional para a Região dos Grandes Lagos (CIRGL) no sentido de se levantar tal proibição, defendendo-se que as circunstâncias que haviam levado à drástica medida já não são as de hoje", acrescenta a mesma nota.

João Lourenço, atualmente presidente em exercício da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), de que a República Centro-Africana é membro, defendeu no mês passado, numa sessão do Conselho de Segurança da ONU, o fim do embargo de armas imposto à República Centro-Africana.

"De acordo com o Presidente João Lourenço, o embargo não se justifica, porquanto as autoridades daquele país têm o direito de garantir a segurança e a defesa da integridade territorial do Estado", refere a ANGOP.

Além de Angola e da RCA, são membros da CIRGL: composta pelo Burundi, República Democrática do Congo, Sudão, Sudão do Sul, Tanzânia, Ruanda, Uganda, Zâmbia, Quénia e República do Congo,

Este ano, Luanda já acolheu duas mini-cimeiras de Chefes de Estado e de Governo com o objetivo de contribuir para a pacificação e estabilidade na RCA. 

Assistir ao vídeo 02:49

Janette Santili arrisca a vida para manter aberta uma escola na RCA

 

Leia mais