Angola: PRS aberto a integrar frente unida contra o MPLA | Angola | DW | 21.02.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Angola: PRS aberto a integrar frente unida contra o MPLA

Presidente do Partido de Renovação Social, Benedito Daniel, disse à DW que a sua formação política está disponível a conjugar esforços com demais forças da oposição para remover o MPLA do poder nas próximas eleições.

Präsidium der Partei PRS in Angola

PRS realizou abertura do ano político no Huambo este domingo (21.02)

O líder do Partido de Renovação Social (PRS) fez saber que a ideia de um bloco único entre os partidos na oposição não é nova. No ano passado, a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), a Convergência Ampla de Salvação de Angola - Coligação Eleitoral (CASA-CE) e o PRS estiveram em contato a este respeito. Entretanto, a estratégia acabou por não avançar.

"Numa primeira fase, quando esta frente havia sido projetada, UNITA, CASA-CE e PRS foram os protagonistas desta frente," disse Benedito Daniel à DW África.

"Mas de lá para cá, os tempos mudaram e houve esta união da UNITA, do Bloco Democrático e um projeto político que está também

fundido [PRA-JA Servir Angola]," acrescentou.

Faltou concertação

Falando à margem do evento de abertura nacional do ano político do seu partido na cidade do Huambo, Benedito Daniel disse ter estranhado, por outro lado, a forma rápida e menos concertada como estes partidos alinharam-se e anunciaram a parceria da criação da frente única para o pleito eleitoral de 2022, sem incluir outros partidos políticos – nomeadamente o PRS e a CASA-CE.

"Não sabemos as circunstâncias que estiveram na tomada de decisão de uma forma rápida. Nós tínhamos conhecimentos de que haveríamos de reunir e, a qualquer momento, iríamos amadurecer as decisões. Mas muito rapidamente, ficamos surpreendidos com a união," revelou.

"Isso nada impede que outros partidos venham a aderir," acrescentou o presidente do PRS.

"Foi um início, qualquer projeto tem que ter um ponto de partida e nós consideramos isso um ponto de partida que, eventualmente, virá a congregar outros partidos," avaliou.

Angola Benedito Daniel Präsidentschaftskandidat der Partei PRS

Benedito Daniel

Metas para 2022

Quanto aos desafios políticos do Partido de Renovação Social para as eleições de 2022, Daniel fez saber que o partido já fez um diagnóstico apurado dos erros cometidos no passado e que agora trabalha para resgatar os assentos perdidos no parlamento.

"Nós estivemos que estudar de forma muito minuciosa as oportunidades, as nossas forças, as nossas fraquezas, as questões que fizeram com que nós viéssemos a assumir esta curva descendente e decidimos não repetirmos esses erros," revelou o político.

"Mas também decidimos mudar a nossa forma de atuação, ou seja, a nossa estratégia, e estamos a trabalhar arduamente para mudarmos o quadro," garantiu o presidente do PRS.

O Partido de Renovação Social insiste no federalismo como sistema político para a resolução dos problemas que o país atravessa.

Para Benedito Daniel, o atual sistema centralizado de governação está descontextualizado e não resolve os problemas que o povo atravessa.

Em 2022, o PRS quer contar com apoio dos eleitores para vencer as eleições e materializar o seu projeto.

O partido realizou na tarde deste domingo, na cidade do Huambo, a abertura nacional do ano político 2021/2022, na presença dos seus militantes e simpatizantes oriundos dos 11 municípios do planalto central.

Assistir ao vídeo 03:09

Angola: Marcha pela legalização do PRA-JA reúne centenas de manifestantes

Leia mais