Angola proíbe entrada de viajantes de países com coronavírus | Angola | DW | 03.03.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Angola proíbe entrada de viajantes de países com coronavírus

Autoridades angolanas proíbem a partir de hoje (03.03) a entrada de cidadãos provenientes de países com epidemia de coronavírus. A medida prevê a quarentena de pessoas que estiveram nesses países nos últimos dias.

A epidemia de coronavírus, verificada na China no final do ano, já infetou 89.527 pessoas, das quais 3.056 morreram, segundo os mais recentes dados das autoridades dos 60 países e territórios afetados. No continente africano os primeiros casos de infeções foram registados no Egito, Nigéria e Argélia, países a que se juntaram, esta segunda-feira (02.02), Marrocos, Senegal e Tunísia.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o surto de coronavírus como uma emergência de saúde pública internacional e aumentou o risco para "muito elevado".

Por esse motivo, a partir desta terça-feira (03.03), nenhum cidadão proveniente de um país onde há surto da doença e tenha registado casos de coronavírus poderá entrar no território angolano, segundo um comunicado do Governo assinado pelo Ministério da Saúde.

A limitação é apenas válida para cidadãos que viajarem diretamente dos países citados, mas já não será aplicável para aqueles que cheguem a Angola através de países terceiros.

A propagação e o pânico

A propagação da doença continua a criar pânico em Angola, país que apresenta debilidades graves no sistema de saúde.

Angolanos ouvidos nas ruas de Luanda pela DW África consideram que a quarentena obrigatória foi decretada muito tarde. Porém, apoiam a iniciativa do Governo que impede estrangeiros de países como a China, Coreia do Sul, Irão e Itália de entrar em Angola. 

Ouvir o áudio 02:42

Angola proíbe entrada de viajantes de países com coronavírus

Para o funcionário público Quintas da Conceição, a medida do Governo é "louvável", pois o país não tem condições para travar a epidemia. "A medida é boa e já devia ser aplicada antes porque o nosso país não tem condições, uma vez que  esta doença é muito contagiosa e mortífera ao mesmo tempo", afirma o trabalhador. 

Para o fotógrafo Fundo Daniel  o Governo deve reforçar a segurança na vasta fronteira que angola tem com outros países. "O Governo tomou uma boa medida porque cada vez que entra estrangeiros desses países com o coronavírus,  porque constituem perigo para nós. O Governo devia tomar mais medidas de segurança para evitar entrada de chineses e outros cidadãos dos países com esta doença", analisa.

Já o estudante Viegas Manuel espera que o surto não chegue em Angola, pois será difícil para muitos angolanos que enfrentam dificuldades no acesso aos serviços de saúde. "Acho mesmo que Deus é que está a velar por nós. Se não velar por nós, se a doença chegar a Angola será o fim do mundo", teme o estudante.

Falta de informação

Muitos dos habitantes de Luanda ouvidos pela reportagem da DW afirmam desconhecer as causas da doença. As informações que têm sobre o surto são as que são veiculadas pela imprensa. Por isso, criticam a fraca campanha de sensibilização.

"Ainda não estou bem informado sobre como se prevenir desta doença", disse Quintas Conceição, uma opinião reforçada pelo seu amigo Morais Fortuna. "A campanha de sensibilização não existe. Temos visto apenas algumas notícias no telejornal. Mas a verdadeira campanha de sensibilização nos bairro não existe. penso que devia haver esse tipo de programa para nos prevenirmos", afirmam os entrevistados.

Afrika Sambia Coronavirus Vorkehrungen (picture-alliance/AP Photo/E. Mwiche)

Cuidados e prevenção para evitar a propagação do coronavírus

A medida que visa vetar os estrangeiros, cujos países registaram casos comprovados do Covid-19, põe em risco a realização de um torneio de basquetebol africano em Luanda. Os jogadores do clube argelino do GSP que tem jogo agendado com o campeão angolano Petro Atlético, devem seguir do seu país para jogar em Luanda, mas estariam proibidos de entrar em Angola porque a Argélia está na lista de países restritos. A realização do jogo ainda não foi confirmada pela organização.

Em declarações ao canal desportivo da Rádio Nacional de Angola, o especialista em basquetebol António da Luz entende que deve haver concertação entre as autoridades angolanas e os organizadores da competição. "A Argélia tem uma equipa que está nesta competição e que viria jogar aqui. Em primeira instância, a Federação Angolana de Basquetebol, a FIBA África e o Petro Atlético deverão encontrar uma medida imediata com as autoridades sanitárias de Angola e aeroportuária para saber se a equipa pode ou entrar em Angola", diz.

É esperado que, numa conferência de imprensa a ser realizada esta semana, em Luanda, o Governo dê mais detalhes acerca das medidas a ser implementadas, nomeadamente, se irá alargar a lista dos países cujos cidadãos ficam proíbidos de entrar em Angola.

Assistir ao vídeo 01:05

Como se prevenir contra o coronavírus