Angola: Morreu o rapper e ativista Carbono Casimiro | Angola | DW | 18.11.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Angola: Morreu o rapper e ativista Carbono Casimiro

Carbono Casimiro morreu esta segunda-feira, vítima de doença, anunciou a família. Músico angolano de 37 anos foi um dos "revús" que se insurgiu contra a governação do ex-Presidente José Eduardo dos Santos.

O rapper e ativista angolano Dionísio Gonçalves Casimiro, conhecido como Carbono Casimiro, faleceu esta segunda-feira na Clínica Girassol, em Luanda.

O irmão do rapper, Joel Júnior, anunciou o falecimento na sua página no Facebook: "Venho em meu nome e da minha família comunicar o passamento físico do meu irmão Dionísio Carbono Casimiro. Agradeço a todas as pessoas que connosco lutaram e fizeram o possível e o impossível, mas prevaleceu a vontade de Deus em o ter por perto mais cedo. Peço que lá de cima olhe por nós e nos dê luz para continuar porque de certo sem ele será quase impossível."

Nas redes sociais, muitos lamentaram a morte do ativista:

Carbono Casimiro foi um dos ativistas do chamado "Movimento Revolucionário" em Angola, que contestava a governação do antigo Presidente José Eduardo dos Santos. Em 2012, o músico disse à DW África: "Somos todos vítimas de um Governo catastrófico, por isso não me contento em fazer música: vou junto com outras pessoas jovens às ruas e protesto contra o Governo."

Leia mais