Angola: Covid-19 é ″soberba oportunidade″ para repatriar capitais | Angola | DW | 02.04.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Angola: Covid-19 é "soberba oportunidade" para repatriar capitais

Procurador-Geral de Angola apelou ao "espírito humanitário" dos cidadãos que não devolveram ativos ilícitos no exterior, incentivando-os a contribuir para "aliviar a situação" do país em estado de emergência.

"As pessoas que não fizeram o repatriamento de capitais têm agora uma soberba oportunidade" para apoiar Angola, considera o Procurador-Geral da República.

Em entrevista à Rádio Nacional, Hélder Pitta Grós lembrou que o país está "numa situação de exceção" devido à pandemia de Covid-19 e apelou ao "espírito humanitário" dos cidadãos que ainda não repatriaram os recursos transferidos ilicitamente para o exterior para que contribuam "com os seus bens, quer financeiros, quer monetários, para aliviar a situação de dor e sofrimento que se vive em Angola".

No final de 2019, um ano depois de o Governo de Luanda ter dado início à fase coerciva do repatriamento de capitais, estimava-se que a maior parte do dinheiro transferido ilegalmente continuava fora de Angola.

Assistir ao vídeo 04:39

Covid-19: A rotina de isolamento de cidadãos dos PALOP na Alemanha

Para Hélder Pitta Grós, o estado de emergência, em que "há necessidade de uma ordem de todos e de tudo", é um bom momento para devolver estes recursos. A notícia foi também divulgada pelo "Novo Jornal".

As autoridades angolanas estão desde a semana passada a pedir apoio solidário para acudir os mais carenciados, no âmbito da Campanha de Solidariedade Juntos por Angola. Desde segunda-feira (30.03), o Governo disponibiliza uma conta bancária para recolha de contribuições dos cidadãos e entidades coletivas com vista a "mitigar a carência" da população mais vulnerável devido à pandemia da Covid-19.

"Ajuda-nos a ajudar. Todos juntos na luta contra a Covid-19. Podes fazer a tua parte contribuindo em kwanzas para o IBAN AO06 005 0000 5197 1631 1019 7 - do Ministério das Finanças - Tesouro Nacional, Governo de Angola", lê-se na mensagem enviada aos utilizadores de telemóvel.

Em campanhas publicitárias difundidas nos órgãos de comunicação, as autoridades apelam à solidariedade dos angolanos "neste momento difícil para a humanidade".

Angola regista atualmente oito casos positivos de infeção pelo novo coronavírus, entre os quais dois morreram.

Leia mais