Alemanha realiza eleições em dois estados | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 14.03.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Alemanha realiza eleições em dois estados

Em meio ao aumento das infeções pelo coronavírus, os alemães votam nos estados Renânia-Palatinado e Baden-Württemberg este domingo. Resultados poderão ter um impacto na posição nacional dos partidos.

Deutschland Landtagswahl Baden-Württemberg

Mulher vota em Baden-Württemberg

Uma coisa é clara: as eleições estaduais deste domingo (14.03) na Alemanha não têm precedentes. Espera-se que as mesas de voto nos estados federados da Renânia-Palatinado e em Baden-Württemberg permaneçam vazias - com cerca de 50% dos 11 milhões de pessoas elegíveis para votar este fim-de-semana a optar pelo voto por correspondência.

Em ambos os estados, as mesas de voto não estiveram ocupadas durante a primeira metade do dia. Na Renânia-Palatinado, 7,5% dos eleitores havia votado até ao meio-dia, de acordo com amostras recolhidas em municípios selecionados. A afluência global às urnas foi de 52% ao meio-dia.

Mais importante ainda, o resultado poderá ser um sinal para as eleições gerais de setembro, que marcarão o fim da chancelaria de Angela Merkel.

Será também a primeira verdadeira demonstração de opinião dos eleitores sobre a gestão de crise na pandemia do coronavírus. 

Baden-Württemberg e Renânia-Palatinado são os primeiros de seis estados, incluindo a cidade-estado de Berlim, a realizar eleições num ano de grandes eleições na Alemanha.

Quais os principais partidos a ter em conta?

O foco das eleições deste domingo é o Partido Social-Democrata (SPD) na Renânia-Palatinado, um dos poucos redutos do SPD na Alemanha. Os números das sondagens nacionais do partido diminuíram constantemente desde 2013, de 25% para 16%, após duas grandes coligações com os democratas-cristãos da chanceler Angela Merkel.

Historicamente visto como o partido dos trabalhadores, o SPD conseguiu manter os seus números na Renânia-Palatinado, em parte graças à popularidade da governadora do estado, Malu Dreyer.

Também deve-se observar o partido Os Verdes, ao qual está filiado o governador de Baden-Württemberg, Winfried Kretschmann. O seu foco ambientalista conseguiu preservar a sua liderança neste rico estado conservador, que é a casa das gigantes do setor de automóveis Mercedes-Benz e Porsche. 

Wahlplakate - Landtagswahl in Rheinland-Pfalz 2021

Cartazes de candidatos na Renânia-Palatinado

O poder de Os Verde de Baden-Württemberg

Em Baden-Württemberg, a União Democrata-Cristã (CDU) é o parceiro de coligação do partido Os Verdes.

O extremamente popular Kretschmann está em funções há 10 anos. Ele é o único do partido a servir como governador de estado na Alemanha. 

Desde as últimas eleições federais, em 2017, Os Verdes ganharam 10 pontos percentuais em sondagens a nível nacional, impulsionados por grupos ambientalistas como as Sextas-Feiras pelo Futuro e preocupações generalizadas sobre as alterações climáticas. 

Em Baden-Württemberg, o partido alcança notáveis 35% de acordo com as sondagens. A reeleição de Kretschmann, de 72 anos de idade, seria um forte sinal de que um governo de coligação com Os Verdes poderia tornar-se uma realidade em Berlim no próximo outono. 

Pode o SPD vencer na Renânia-Palatiando?

Na Renânia-Palatinaod, Dreyer foi reeleita há cinco anos, quando o SPD obteve uma vitória surpreendente sobre a CDU. A questão é se ela poderá novamente conduzir o SPD à vitória.

Dreyer, que está no cargo desde 2013. Lidera atualmente uma coligação com Os Verdes e os democratas-livres - a única coligação dos três partidos na Alemanha. 

Tal como Kretschmann, Dreyer, construiu uma reputação como líder realista. 

Numa altura em que o SPD caiu para um mínimo histórico de 15% nas sondagens nacionais, a sua vitória daria ao partido um impulso moral muito necessário. A mensagem seria que o SPD ainda é uma força com que se deve contar - se tiver o candidato certo. 

Deutschland ICoronavirus - ZF Friedrichshafen

Baden Württemberg é casa de gigantes do setor de automóveis

Expectativas

Prevê-se uma vitória para os titulares em ambos os estados.  

Poderá ser uma corrida renhida na Renânia-Palatinado, onde nos dias que antecederam as eleições o SPD pontuou pouco mais de 30% e o CDU pouco menos de 30% nas sondagens.

Em Baden-Württemberg, espera-se que Os Verdes conquistem mais de 30% dos votos e a CDU até 25% - notáveis 70% das pessoas inquiridas disseram que gostariam que Kretschmann ficasse no cargo.

Fazer campanha durante a pandemia

A pandemia do coronavírus afetou a campanha, forçando os partidos e candidatos a manterem a distância dos eleitores e a fazerem as campanhas políticas virtualmente.

Ao mesmo tempo, a insatisfação com a resposta à pandemia tem sido palpável na Alemanha. De acordo com um inquérito realizado no mês passado pelo grupo de pesquisa de dados Statista, menos de 40% dos alemães estão satisfeitos com a forma como a pandemia está a ser gerida.

Os políticos que concorrem à reeleição estão a sentir esta tensão. Tanto Dreyer como Kretschmann foram atacados pelos seus opositores em debates televisivos sobre gestão de crises e encerramentos.

A CDU está atualmente envolvida num escândalo de corrupção envolvendo parlamentares que aceitaram grandes subornos em troca da sua ajuda na intermediação de acordos de venda de máscaras faciais caras a instituições estatais. Continuam a registar-se novas revelações à medida que mais deputados são acusados de irregularidades.

A indignação pública poderia transformar a corrida eleitoral numa batalha penosa para o bloco de Merkel. E os membros da CDU temem que isso lhes possa custar a chancelaria em setembro.

Assistir ao vídeo 04:29

Alemanha: "Escândalo das máscaras" pode prejudicar partido de Merkel nas urnas?

Leia mais