Alemanha poderá deportar 12 mil nigerianos | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 16.01.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Alemanha poderá deportar 12 mil nigerianos

São cada vez mais os cidadãos da Nigéria que pedem asilo político na Alemanha. O número de pedidos recusados também é significante. Os cidadãos com pedidos rejeitados são obrigados a abandonar a Alemanha.

As autoridades alemãs receberam desde 2016 mais de 38 mil pedidos de asilo de cidadãos nigerianos, mas a maioria foi rejeitada. De acordo com o Governo alemão, há mais de 12 mil nigerianos que já esgotaram todos os recursos legais e devem agora deixar o país, projetando-se assim um aumento significativo das deportações nos próximos tempos.

No entanto, para Ulla Jelpke, deputada do partido da oposição alemão "Die Linke" (A Esquerda), essa seria uma decisão errada. "Se o Governo assume que não há problemas em administrar drogas às pessoas que resistem à deportação e usar algemas nos pés dessas pessoas, então este Governo é simplesmente implacável", afirma. 

Denúncias de maus tratos

Jelpke refere-se às denúncias feitas no ano passado por alguns jornais nigerianos e cidadãos deportados, que relataram que foram algemados durante todo o voo de regresso a casa. Outros disseram que foram forçados a tomar medicamentos contra a sua vontade. Contudo, o Governo alemão nega as alegações, tendo sublinhado que não tem conhecimento de violações aos diretos humanos durante o processo de deportação.

Ouvir o áudio 03:04

Alemanha poderá deportar 12 mil nigerianos

Rex Osa, ativista nigeriano para os refugiados, conta à DW que os problemas dos deportados continuam quando chegam ao país de origem: "Ao chegar ao aeroporto, eles são deixados no portão das cargas sem que ninguém se mostre preocupado com a situação. Têm de implorar por telemóveis para ligar aos familiares e amigos. Alguns dormem na rua durante dias a fio até poderem contactar as suas famílias. Sabemos também que as jovens com filhos, mães solteiras, são abandonadas lá com os seus filhos", denuncia o ativista.

Mais depotações na forja

As deportações da Alemanha para a Nigéria aumentaram de 44, em 2016, para 282, entre janeiro e agosto do ano passado. Apesar das reclamações, os observadores não acreditam que o Governo alemão mude de estratégia.

"Diria que não há tantas deportações para a Nigéria como os ministros da Segurança Interna da Alemanha e da União Europeia gostariam", comenta Karl Kopp, do grupo pró-refugiados ProAsyl. "Mas há um medo real de que estas deportações sejam feitas com muito mais rigor do que antes".

Leia mais