Alemanha: Partido de Merkel bate extrema-direita nas eleições regionais | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 07.06.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Alemanha: Partido de Merkel bate extrema-direita nas eleições regionais

A CDU de Angela Merkel venceu as eleições deste domingo (06.06), no estado da Alta Saxónia, com 37,1% dos votos, deixando para trás o partido Alternativa para a Alemanha (AfD) que ficou com 20,8%.

Com pouco mais de 1,8 milhões de residentes, o estado da Alta Saxónia é dos mais pequenos da Alemanha, mas a votação deste domingo é vista como o último teste da opinião pública antes das eleições gerais de 26 de setembro, que não contarão com a participação de Angela Merkel.

Reagindo aos resultados obtidos na Alta Saxónia, o secretário-geral da CDU, Paul Ziemiak, considerou-os "sensacionais", porque no seu entender o partido apresentou "um candidato forte, um perfil claro do centro e unidade. Isso foi decisivo".

"A Alta Saxónia permanece estável e a CDU ganhou claramente esta eleição. Hoje é um bom dia", frisou.

O partido de Merkel tem sido uma força dominante no antigo estado da Alta Saxónia da Alemanha do Leste durante décadas, encabeçando todas as eleições regionais, à excepção de uma edição, desde a reunificação em 1990.

Landtagswahl Sachsen-Anhalt - CDU

Reiner Haseloff, da CDU, primeiro-ministro do estado da Alta Saxónia.

AfD aponta resultado "muito positivo"

Projeções antes da votação previam uma corrida renhida com o partido AfD, considerado anti-imigração.

Nas últimas eleições, em 2016, a Alternativa para a Alemanha (AfD), obteve na Alta Saxónia 24% dos votos, cifra que caiu para 20,8% este ano.

Mas o partido considera o resultado positivo, segundo Alexander Gauland, co-líder do grupo AfD no Parlamento alemão: "É um resultado muito positivo, porque quase colámos os nossos resultados [de há 5 anos atrás]. Fomos bem-sucedidos contra a dura oposição de todos os outros, nesta guerra, por assim dizer, e isso mostra que a nossa posição é estável e que os nossos eleitores estão satisfeitos conosco".

Sachsen-Anhalt Annalena Baerbock nach ersten Prognosen

Annalena Baerbock

Caminho livre para reedição da coligação "Quénia"

Perante este resultado, o primeiro-ministro da Saxónia-Anhalt, Reiner Haseloff, está em condições de reeditar a aliança com os Sociais-Democratas e os Verdes, conhecida por "Quénia" devido às cores dos três partidos, sendo o primeiro governo com esta configuração em todo o país e que conseguiria um total de 46 lugares no parlamento regional. 

A continuidade ou não da coligação na Alta Saxónia entre a CDU, SPD e os Verdes é, para já, uma incógnita, mas tudo leva a crer que esta ligação continuará, depois de Haseloff ter dito há dias que não cooperaria com a AfD.

O partido Die Linke (A Esquerda) manteve-se na terceira posição, nas eleições deste domingo, com 11%. 

Infografik LTW Sachsen-Anhalt Vorläufiges amtliches Endergebnis PT 0310

Resultado final das eleições na Saxónia-Anhalt

A Alta Saxónia é governada há cinco anos por uma coligação entre o CDU, SPD e Verdes. Partido Social Democrático (SPD), ficou em quarto lugar com 8,4% e os Verdes em quinto com 5,9%%.

Annalena Baerbock, líder dos Verdes e candidata do partido às eleições de setembro próximo, desvalorizou os resultados da Alta Saxónia:  "As eleições regionais são sempre muito específicas do Estado. Já vimos isto em todas as eleições anteriores. As eleições federais são sobre outra coisa”.

Os Verdes estiveram ligeiramente pouco acima do resultado conseguido em 2016, e, segundo Baerbock, esperavam "um pouco mais": "É evidente, mesmo tendo ganho terreno em comparação com os resultados de há cinco anos".

Assistir ao vídeo 05:40

Como será o futuro pós-Merkel? Talvez mais verde

Leia mais