Alemanha deve ser exemplo na luta contra as mudanças climáticas | NOTÍCIAS | DW | 04.12.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Alemanha deve ser exemplo na luta contra as mudanças climáticas

Olaf Scholz que se prepara para ocupar o lugar de chanceler da Alemanha, quer que o país seja um exemplo na batalha contra as alterações climáticas.

O social-democrata Olaf Scholz, indicado para suceder a partir da próxima quarta-feira (08.12) a Angela Merkel na chancelaria alemã, defendeu este sábado (04.12), que a Alemanha deve dar o exemplo na luta contra as alterações climáticas e, como grande país industrial, "mostrar" a outros o caminho.

"Nós, na Alemanha, temos uma grande responsabilidade para que isso aconteça", realçou Scholz, em Berlim, num congresso extraordinário dos membros do seu partido SPD para aprovar o contrato de coligação celebrado com os Verdes e os Liberais para formar o próximo governo.

Olaf Scholz

Olaf Scholz

Para Olaf Scholz, se a Alemanha, uma das maiores economias do mundo, não acelerar a transição energética, "ninguém desenvolverá as tecnologias e ninguém mostrará aos outros como fazê-lo", disse o social-democrata. 

"Fazemo-lo por nós próprios mas, ao mesmo tempo, fazemo-lo por todos os outros, porque somos nós que mostramos o caminho (...), como um dos países industriais mais prósperos do mundo, com as tecnologias mais modernas e os melhores cientistas", sublinhou. 

O acordo de coligação atribui um lugar de destaque à luta contra as alterações climáticas e prevê o objetivo da eliminação acelerada do carvão a partir de 2030, bem como alcançar 80% de eletricidade produzida de energias renováveis.

Este sábado, ativistas ambientais manifestaram-se em frente à sede do SPD, onde foi realizado o congresso, parcialmente 'online', por defenderem que o programa da futura coligação não contém propostas suficientes em termos de transporte e redução do tráfego aéreo. 

As organizações ambientais têm criticado repetidamente que o conteúdo do acordo não é suficiente para colocar a Alemanha no caminho para a descida de 1,5°C estabelecida no acordo climático de Paris.

Refira-se que o acordo de coligação (SPD/Verdes e FDP), foi aprovado este sábado (04.12), com 98,8% dos votos dos membros do SPD. Este domingo (05.12) será a vez dos membros do FDP votaram no documento, enquanto os Verdes prometem que até segunda-feira (06.12), vao apresentar o resultado da consulta pública que estão a fazer às bases do partido.

Assistir ao vídeo 02:12

Chimanimani: Sobrevivência de agricultores ameaçada pelas mudanças climáticas