Alemanha ajuda Cabo Verde a implementar energias renováveis | MEDIATECA | DW | 10.05.2013
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

MEDIATECA

Alemanha ajuda Cabo Verde a implementar energias renováveis

Especialistas alemães estão a apoiar as autoridades cabo-verdianas a substituírem a energia produzida no arquipélago por energias renováveis até 2020. Cidade da Praia acolhe esta sexta-feira uma conferência sobre o tema.

Ouvir o áudio 03:28

O evento, que trouxe a Cabo Verde cerca de 30 empresários alemães além de especialistas germânicos do sector, acontece no âmbito da visita de dois dias à Cidade da Praia, a capital cabo-verdiana, da vice-presidente e ministra da Energia do Estado alemão da Renânia-Palatinado, Eveline Lemke.

A governante alemã promete apoiar Cabo Verde na aquisição de energia limpa. "Podem ter a energia de uma forma mais barata. É a base para qualquer negócio, é a base para a indústria. Sem dúvida, é a base para qualquer negócio que queiram fazer", afirma Lemke.

O Estado da Renânia Palatinado está a apoiar Cabo Verde na conversão do seu sistema energético desde o ano passado. A ideia é que, no horizonte de 2020, Cabo Verde seja dos primeiros países do mundo a usar o sol e vento a 100% na produção de energia.

Se isso acontecer, o país pouparia, anualmente, milhares de contos, garante Michael Knaus, investigador da Universidade de Trier, na Alemanha. Um projeto similar de energia solar, com a mesma potência, está já a ser desenvolvido na Turquia . "Os turcos produzem eletricidade por menos cinco cêntimos de euros e em Cabo Verde vocês pagam cinco vezes mais, dinheiro que sai de Cabo Verde diretamente para a Arábia Saudita e que podia gerar novos empregos, novos serviços e projetos", conta o pesquisador.

Ilha do Sal acolhe projeto-piloto

Para já, a ilha do Sal foi escolhida para o projeto-piloto. "Nos próximos dois anos queremos construir no Sal um parque eólico e mecanismo de armazenamento de energias. Queremos produzir 90% de energias renováveis no Sal", revela Knaus.

Numa segunda fase, a ideia é construir, até 2018, parques fotovoltaicos e eólicos, para se poder, assim, criar condições para produzir o dobro da energia que a ilha necessita. "Este excedente de energia seria aproveitado para a produção de água e podemos colocá-la na rede ou utilizá-la na agricultura", precisa o investigador.

Michael Knaus está há um ano a trabalhar no processo de transição do fuel para as energias renováveis e calcula em 12 mil milhões de euros o montante necessário para Cabo Verde investir neste sector a fim de atingir este objetivo.

Governo aposta nas energias renováveis

No Programa de Governo para esta legislatura, o Executivo cabo-verdiano promete uma grande aposta no domínio das energias renováveis. Esta aposta foi reforçada, recentemente, numa declaração pública do primeiro-ministro, José Maria Neves."Com estes investimentos, estaremos a cumprir a promessa de estabilizar a produção de energia elétrica no país, mas também de garantir uma maior eficiência, mais eficácia e melhor qualidade na prestação do serviço de energia em Cabo Verde", sublinhou o governante.

Ao mesmo tempo que investe nas energias renováveis, o Governo aposta também nas oportunidades de negócios e na geração de empregos.

O fornecimento de energia eléctrica em Cabo Verde é deficiente, os cortes de electricidades são constantes sobretudo no verão, mas José Maria Neves acredita que dias melhores virão.