Alemanha ainda sem pistas sobre motivação de ataque fatal com carrinha em Münster | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 08.04.2018

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Alemanha ainda sem pistas sobre motivação de ataque fatal com carrinha em Münster

As autoridades alemãs continuam a investigar por que motivo um cidadão alemão atropelou no sábado (07.04) uma multidão com recurso a uma carrinha em Münster, suicidando-se em seguida. Pelo menos duas pessoas morreram.

As autoridades estão a investigar "em todas as direções" para tentar perceber o que motivou um homem de 48 anos a conduzir uma carrinha a alta velocidade sobre uma multidão numa esplanada no centro da cidade de Münster, no Estado da Renânia do Norte-Vestefália. Pelo menos duas pessoas morreram e 20 ficaram feridas. O condutor do veículo suicidou-se em seguida.

Segundo fontes policiais, alguns feridos continuam em estado crítico e correm "perigo de vida".

Deutschland Täter von Münster ist Deutscher - kein Hinweis auf islamistisches Motiv

Autoridades continuam a investigar em todas as direções

"Até agora, não temos nenhuma pista sobre o que que terá motivado a ação", disse o Procurador-Geral Martin Botzenhardt num comunicado conjunto com a polícia. Segundo Martin Botzenhardt, não há indícios de haver cúmplices no ataque. "As investigações estão a ser conduzidas sob grande pressão e em todas as direções", esclareceu ainda no comunicado.

A polícia alemã disse hoje que uma mulher de 51 anos e um homem de 65 anos são as duas vítimas mortais do atropelamento.

O incidente causou o pânico na Alemanha, que reviveu o medo de um atentado 'jihadista' até o condutor ser identificado como alguém com problemas psiquiátricos.

Nada aponta para ataque terrorista

 "Nada aponta, neste momento, para que tenha sido um atentado terrorista, embora seja necessário esperar e investigar em todas as direções", declarou, cinco horas depois do incidente, o ministro do Interior do Estado da Renânia do Norte-Vestefália, Herbert Reul.

O condutor da carrinha que protagonizou o atropelamento e, em seguida, se suicidou com um tiro no interior do veículo "é um cidadão alemão, e não um refugiado ou algo parecido", acrescentou o governante, para afastar rumores e especulações.

O atropelamento ocorreu por volta das 15h30 locais, no centro histórico da cidade, uma zona de ruas estreitas e muito concorridas, e num sábado com temperaturas quase estivais, pelo que cafés e cervejarias tinham montado as suas esplanadas no exterior.

Deutschland Kleintransporter fährt in Münster in Menschenmenge - Tote und Verletzte

Após o incidente, foi estabelecido um perímetro de segurança no centro da cidade de Münster

Como relataram testemunhas à imprensa local, a carrinha avançou a grande velocidade e embateu contra um grupo de pessoas sentadas numa esplanada. Pouco depois, um porta-voz da polícia da Renânia do Norte-Vestefália anunciou três mortos e 20 feridos, seis dos quais em estado grave, baixando depois o balanço do atropelamento para duas vítimas mortais.

Campanha de doação de sangue

A Clínica Universitária de Münster, para onde foram transportados os feridos, recorreu às redes sociais para pedir doações de sangue para poder tratá-los, formando-se, logo em seguida, uma longa fila de pessoas dispostas a contribuir.

As forças de segurança evacuaram a zona e pediram à população para evitar o centro da cidade, por forma a facilitar a investigação, enquanto estabeleciam um amplo perímetro de segurança em torno do local do incidente.

As primeiras imagens do local do atropelamento mostravam a carrinha amolgada contra um edifício e rodeada de mesas e cadeiras de esplanada partidas.

De acordo com informações coincidentes dos principais órgãos de comunicação alemães, o autor do atropelamento é Jens R., um homem de 48 anos com problemas psiquiátricos e que tinha tentado anteriormente suicidar-se. Vivia há vários anos em Münster, situando-se a sua casa a menos de dois quilómetros do local do incidente e era conhecido da polícia por delitos menores.

Em comunicado, a chanceler alemã, Angela Merkel, expressou a sua consternação pelo atropelamento e garantiu que se fará "tudo quanto for possível para esclarecer o ocorrido e para prestar assistência às vítimas e seus familiares". Também o Presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier, expressou pesar pelos acontecimentos, tal como vários ministros do Governo.