Adalberto Costa Júnior em Cabinda: ″A paz deve abranger a todos″ | Angola | DW | 09.06.2022

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Adalberto Costa Júnior em Cabinda: "A paz deve abranger a todos"

Líder da UNITA considera que Cabinda ainda tem vários desafios por resolver, e um deles refere-se à falta de paz. De visita à província, Adalberto Costa Júnior também criticou o ambiente pré-eleitoral em Angola.

O líder da UNITA, Adalberto Costa Júnior (no centro), cumpre agenda em Cabinda

O líder da UNITA, Adalberto Costa Júnior (no centro), cumpre agenda em Cabinda

No cumprimento da agenda de trabalho do seu partido, Adalberto Costa Júnior, presidente da União para Independência Total de Angola (UNITA), chegou à província de Cabinda na tarde desta quinta-feira (09.06).

O líder do maior partido da oposição em Angola disse que durante a sua visita ouvirá as mais diversas sensibilidades, por considerar que ainda falta muito por fazer no enclave.

Falando aos seus militantes, Costa Júnior frisou que "a província de Cabinda enfrenta vários desafios por resolver e fundamentalmente o desafio da estabilidade e da paz que deve abranger a todos sem nenhuma exceção".

Região autónoma

Durante o comício de abertura da pré-campanha eleitoral da UNITA e da aliança da oposição Frente Patriótica Unida (FPU), em Luanda, Adalberto Costa Júnior defendera a criação de uma região autónoma em Cabinda.

Integrantes da sociedade civil em Cabinda reagiram com ceticismo a estas considerações, que suspeitam não passar de propaganda eleitoral.

Angola Oppositionspartei UNITA, Adalberto Costa Júnior

Dezenas de militantes da UNITA acompanharam o comício de Adalberto Costa Júnior

O político respondeu aos seus críticos: "É verdade que houve uma fação da FLEC [Frente de Libertação do Enclave de Cabinda], que fez uma reflexão. Mas a par dessa, imediatamente também houve uma série de pessoas que concordou com a nossa proposta por entender que ela é positiva e responsável. Esta sempre foi a vontade da UNITA, até porque a UNITA sempre foi muito aberta. Portanto, essa proposta não é nova, mas sim foi reafirmada".

UNITA coloca expectativas em Cabinda

O líder da oposição acredita que a UNITA terá bons resultados nas eleições, uma vez que os cidadãos estão descontentes com a situação atual, muito marcada pela exclusão. Por isso, foi mobilizar votos em Cabinda.

"Eu tenho de facto uma forte esperança que nós vamos poder ter um excecional resultado em Cabinda. Por todas as razões possíveis. Pela nossa postura, pelas propostas e abertura que temos e porque nós estamos determinados a virar a página desta Angola que não tem ainda uma verdadeira inclusão no seu todo e sobretudo uma paz que tarda para chegar a Cabinda", disse o líder da oposição aos seus apoiantes cabindenses.

Cabinda: "Medo, isso é coisa do passado!"

Ambiente pré-campanha

Adalberto Costa Júnior aproveitou a ocasião para criticar as circunstâncias em que ocorre a abordagem a estas eleições .

De acordo com o presidente da UNITA, o "ambiente democrático" da pré-campanha eleitoral "não é bom".

"As garantias de transparência não existem, o tratamento igual tarda a chegar, mas ainda assim, nós vamos continuar a ser atores de transparência e de diálogo e realizar a alternância que tanto se espera", afirmou.

Após vários encontros com líderes políticos e religiosos de Cabinda nos dois próximos dias, para sábado Adalberto Costa Júnior agendou um comício no estádio do Chiweca, que deverá encerrar a sua agenda na província mais ao norte de Angola.

Leia mais