África do Sul: Sobe para 16 número de mortos em ataque a bar no Soweto | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 13.07.2022

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

África do Sul: Sobe para 16 número de mortos em ataque a bar no Soweto

As autoridades sul-africanas elevaram para 16 o número de mortos no ataque armado a um bar no Soweto, nos arredores de Joanesburgo, ocorrido no domingo (10.07). Polícia prossegue investigação para "prender agressores".

"O número de mortos subiu para 16 depois da morte de um dos feridos que estava no hospital", referiu a polícia em comunicado, acrescentado que a investigação prossegue "para estabelecer o motivo e prender os agressores envolvidos no tiroteio."

No fim de semana, tiroteios em bares fizeram 16 mortos no Soweto o maior município de Joanesburgo, dois mortos em Katlehong, no município de Ekurhuleni, sudeste de Joanesburgo, e quatro em Pietermaritzburg capital da província do KwaZulu-Natal (KZN), sudeste do país.

As autoridades sul-africanas detiveram duas pessoas por alegado envolvimento num dos ataques armados que provocaram pelo menos 22 mortos no fim de semana, segundo um comunicado da polícia.

A detenção de duas pessoas ligadas ao tiroteio mortal em Pietermaritzburg, KwaZulu-Natal, "é um primeiro passo para levar à prisão todos aqueles que orquestraram um dos fins de semana mais sangrentos no país", lê-se no comunicado do gabinete do ministro da polícia sul-africana, o general Bheki Cele.

Segundo o comunicado da polícia, após visitar a cena do crime em Soweto, o ministro Bheki Cele disse que os ataques nas duas províncias - Gauteng, cuja capital é Joanesburgo, e KwaZulu-Natal - terão sido mais coincidentes do que coordenados.

Crimes violentos têm vindo a aumentar na África do Sul

Crimes violentos têm vindo a aumentar na África do Sul

Uma das maiores taxas de criminalidade do mundo

A África do sul tem uma das maiores taxas de criminalidade do mundo. A criminalidade violenta tem vindo a aumentar no país, com uma média de 67 pessoas assassinadas todos os dias nos primeiros quatro meses de 2022 - a taxa mais alta dos últimos cinco anos.

A África do Sul enfrenta atualmente desafios sociais e económicos agravados, com o desemprego a 34,5% e o desemprego juvenil a quase 64%.

"A pobreza está entre as causas", diz Siyabonga Sam, 32 anos, residente em Orlando East que perdeu o seu emprego durante a pandemia de Covid-19. "Se o Governo não criar empregos, isto nunca mais acabará", sublinha.

No domingo (10.07), o Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, instou as autoridades de segurança e as comunidades a cooperarem na detenção dos responsáveis pelos ataques armados em tabernas.

"Como nação, não podemos permitir que sejamos aterrorizados dessa forma por criminosos, independentemente de onde tais incidentes possam ocorrer", salientou em comunicado o chefe de Estado sul-africano.

Autoridades dizem que a criminalidade está a aumentar porque há mais bares do que escolas e igrejas no país

Autoridades dizem que a criminalidade está a aumentar porque há mais bares do que escolas e igrejas no país

Onda de assassinatos

No Soweto, o maior município de Joanesburgo com cerca de dois milhões de habitantes, cinco homens encapuçados armados atacaram na madrugada de domingo uma taberna disparando aleatoriamente com armas automáticas de alto calibre e pistolas de 9 mm.

O incidente ocorreu cerca das 00:30, hora local, em Orlando Este, na taberna Mdlalose, situada no bairro informal de Nomzamo, horas antes da conferência provincial do ANC Congresso Nacional Africano (ANC), o partido no poder, em Gauteng.

No sábado (09.07), o tiroteio numa taberna em Katlehong, no município de Ekurhuleni, sudeste de Joanesburgo, provocou dois mortos e pelo menos dois feridos graves.

Em Pietermaritzburg, capital da província do KwaZulu-Natal (KZN), sudeste do país, dois homens armados entraram numa taberna e abriram fogo indisctiminadamente, deixando quatro mortos e oito feridos. Desconhecem-se os motivos dos ataques armados.

África do Sul: Prestar cuidados de saúde numa zona de alta criminalidade