1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Zona do euro tem recorde de desemprego

Em 13 anos de história do euro, o número de pessoas sem emprego nos países-membros nunca foi tão grande. A Alemanha é o único país que conseguiu reduzir sua taxa de desemprego.

ILLUSTRATION - Eine 2-Euro Münze, aufgenommen am Freitag (21.05.2010) in Düsseldorf. Griechenland reißt die mit EU, IWF und EZB für dieses Jahr vereinbarte Schuldengrenze. Grund ist die schrumpfende Wirtschaft. Um weiter zu sparen, sollen Zehntausende Staatsbedienstete gehen. Foto: Julian Stratenschulte dpa/lnw +++(c) dpa - Bildfunk+++

Symbolbild Euro Münze

O desemprego na zona do euro alcançou um recorde de 10,9% em março, pressionando ainda mais os governos a mudarem a política de austeridade para incentivar o crescimento econômico.

A Eurostat, agência de estatísticas da União Europeia, divulgou nesta quarta-feira (2/5) que 17,365 milhões de pessoas estavam sem trabalho na zona do euro em março. Esse é o número mais elevado desde a introdução da moeda comum, em 1999.

O aumento do desemprego coincidiu com a adoção de rigorosas medidas de austeridade para reduzir as dívidas de alguns países membros da União Europeia. A Organização Internacional do Trabalho criticou na segunda-feira os governos europeus por focarem mais o equilíbrio de seus orçamentos do que a necessidade de criar vagas de trabalho.

Nos 27 países da União Europeia, o desemprego aumentou em 193 mil pessoas no mês de março, mas a taxa de desemprego do bloco manteve-se estável em 10,2%.

Crescimento e austeridade

De acordo com a Eurostat, o país que mais sofre com o desemprego é a Espanha, onde a taxa de desemprego subiu para 24,4% em março. A Grécia aparece em segundo lugar, com 21,7%. Em ambos os países, a taxa de desemprego entre os jovens é superior a 50%.

A taxa de desemprego da Itália também cresceu pelo sétimo mês consecutivo, pulando para 9,8%. Quase a metade dos 17 membros da zona do euro está em recessão. A crise de desemprego na área de moeda comum piorou em quase todos os membros, exceto na Alemanha, onde a taxa de desemprego em março foi de 7,2% e em abril caiu para 7%, segundo dados divulgados pela Agência Federal do Trabalho.

As menores taxas de desemprego na zona do euro em março foram registradas na Áustria (4%) e na Holanda (5%).

AKS/dpa/afp
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais