Yahoo teria espionado usuários para governo americano | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 04.10.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Tecnologia

Yahoo teria espionado usuários para governo americano

Segundo reportagem da Reuters, empresa americana teria criado um programa para fazer pesquisas em e-mails de usuários do provedor. Pedidos de informações teriam partido do FBI e da Agência de Segurança Nacional.

A empresa americana Yahoo teria criado no ano passado um software para pesquisar e-mails recebidos por usuários de sua plataforma a pedido do serviço secreto dos Estados Unidos, segundo uma reportagem da agência de notícias Reuters, divulgada nesta terça-feira (04/10).

O software buscava informações específicas solicitadas por funcionários da Agência de Segurança Nacional (NSA) e do FBI, disseram fontes anônimas. A empresa cumpria com uma diretriz secreta do governo americano e teria pesquisado milhões de contas de usuários.

A reportagem afirmou que não se sabe o tipo de informação que foi pesquisada. A Reuters não conseguiu determinar quais foram os dados repassados, se houve realmente essa transferência, e nem se outros provedores também receberam esse pedido do governo americano.

Segundo dois ex-funcionários da empresa, a decisão da presidente-executiva do Yahoo, Marissa Mayer, de obedecer à ordem do governo teria irritado alguns executivos e causado a demissão do chefe de segurança de informação Alex Stamos, que agora trabalha para o Facebook.

O Yahoo não negou a reportagem e disse apenas que obedece a legislação vigente nos Estados Unidos. Esse é o segundo escândalo que envolveu a empresa recentemente. Em meados de setembro, a companhia admitiu o vazamento de dados de pelo menos 500 milhões de usuários em 2014.

De acordo com a Reuters, especialistas em segurança afirmaram que este seria o primeiro caso de uma empresa de internet americana que concordou com exigências de agências de inteligência para espionar todas as mensagens. Eles acreditam ainda que a NSA e o FBI tenham feito o mesmo pedido para outras empresas do ramo.

A Google negou ter recebido pedido semelhante e ressaltou que jamais aceitaria esse tipo de exigência. A Microsoft disse apenas que não pesquisa e-mails de usuários, mas não comentou se recebeu a mesma solicitação do governo.

 CN/rtr/ap

Leia mais