World Press Photo premia fotógrafo turco | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 13.02.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

World Press Photo premia fotógrafo turco

Após testemunhar assassinato do embaixador russo em Ancara, Burhan Ozbilici se manteve calmo para registrar imagens do atirador. Ele diz que em meio à cena caótica, decidiu zelar pelo jornalismo de qualidade.

Imagem registrada momentos após disparos faz parte da série Assassinato na Turquia

Imagem registrada momentos após disparos faz parte da série "Assassinato na Turquia"

A fotografia "Assassinato em Ancara", que mostra um atirador armado e com uma das mãos erguidas após assassinar a sangue frio o embaixador russo na capital turca foi a vencedora do prêmio World Press Photo 2017.

A imagem registrada pelo fotógrafo turco Burhan Ozbilici foi escolhida pelos jurados e colegas de profissão, que elogiaram sua coragem e compostura ao fotografar Mevlut Merv Altintas próximo ao corpo do homem que ele acabara de assassinar.

Ozbilici fotografou os momentos que antecederam e sucederam o assassinato do embaixador Andrei Karlov pelo jovem policial de 22 anos, no último dia 19 de dezembro.

A fotografia vencedor do World Press Photo faz parte da série "Assassinato na Turquia", que também ganhou o prêmio Spot News na categoria de história.

A imagem vencedora mostra o atirador, vestido de terno e gravata, em pose desafiadora, enquanto gritava próximo ao corpo inerte do embaixador. Outra imagem da série mostra o embaixador pouco antes de ser morto, e Altintas em pé atrás dele.

Ozbilici afirma que seu instinto profissional prevaleceu apesar da cena estarrecedora que se desenrolava bem a sua frente. "Compreendi que isso era uma grande história, um incidente muito importante", afirmou em entrevista.

O fotógrafo veterano da agência Associated Press fez o que aprendeu a fazer em 30 anos de carreira. "Eu decidi imediatamente fazer meu trabalho, porque poderia ser ferido, talvez morto, mas ao menos teria representado o bom jornalismo", disse.

"Compostura extraordinária"

A fotografia de Ozbilici foi escolhida entre mais de 80 mil imagens enviadas por mais de 5 mil fotógrafos em 125 países. Os jurados concederam prêmios em oito categorias a 45 fotógrafos de 25 nacionalidades.

O presidente do júri, Stuart Franklin, disse que a imagem é uma "fotografia jornalística de impacto incrivelmente alto". "Acho que Burkhan foi incrivelmente corajoso e teve uma compostura extraordinária para conseguir se manter calmo em meio à desordem e capturar as imagens impressionantes que ele capturou."

Após a receber o prêmio, Ozbilici disse que sentia uma responsabilidade para com sua profissão como um todo ao se manter firme durante o incidente, e que agora, a responsabilidade apenas aumenta.

"As novas gerações, em especial, precisam de mais apoio, mais coragem para prosseguir porque o jornalismo, o jornalismo independente, atravessa momentos difíceis. Com essa foto, quero mostrar que o mundo precisará para sempre de bom jornalismo", disse o fotógrafo.

RC/ap/afp

Leia mais