1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Wolfgang Herrndorf, autor de "Adeus, Berlim", morre aos 48 anos

Com o romance "Adeus, Berlim", Wolfgang Herrndorf permaneceu meses na lista dos escritores alemães mais vendidos. Aos 48 anos, o premiado autor e blogueiro alemão faleceu após anos de luta contra um tumor cerebral.

No final de 2010, Wolfgang Herrndorf publicou seu romance mais popular: Adeus, Berlim(Tschick). O livro sobre dois jovens rebeldes que atravessam a antiga Alemanha Oriental num automóvel Lada vendeu mais de 1 milhão de cópias e foi traduzido para 24 idiomas.

Após uma luta de anos contra um tumor maligno no cérebro, Herrndorf morreu na madrugada desta terça-feira (27/08), informou a editora do escritor, Rowohlt, em Reinbek, próximo a Hamburgo. Uma cura já havia sido descartada pelos médicos.

Nascido em Hamburgo, em 12 de junho de 1965, Herrndorf estudou pintura em Nurembergue, mudando-se para Berlim, onde trabalhou como ilustrador para a editora Haffmans e a revista satírica Titanic. Em 2002, publicou seu romance de estreia, Im Plüschgewittern, e, em 2007, uma série de contos sob o título Diesseits des Van-Allen-Gürtels.

Além de Adeus, Berlim, Herrndorf também ficou conhecido por Areia(Sand). Lançado em 2011, o livro garantiu a Herrndorf o Prêmio da Feira do Livro de Leipzig de 2012, que já não pôde receber pessoalmente devido a seu estado de saúde.

Talentoso e imaginativo

O ministro alemão da Cultura, Bernd Neumann, elogiou Herrndorf como um escritor talentoso e imaginativo. "Para a cena literária alemã, sua morte significa uma grande perda." Por sua vez, o diretor do Deutsches Theater de Berlim, Ulrich Khuon, encontrou palavras calorosas para o escritor: "Lê-lo sempre encoraja a viver. Sua morte foi incrivelmente triste".

Juntamente com seus amigos autores berlinenses Kathrin Passig e Sascha Lobo, Herrndorf ainda estava trabalhando para o blog Riesenmaschine, que foi agraciado com o Prêmio Grimme Online. Sobre seu trabalho e sua vida com o tumor, Herrndorf também mantinha um blog próprio intitulado Arbeit und Struktur (Trabalho e estrutura).

Fim trágico

Nas últimas entradas de seu blog, o autor relatou de forma tocante o lento esvaecimento de suas forças. "Ao me levantar de manhã, cambaleei três ou quatro metros pelo quarto de costas, e bati com a cabeça e o pescoço no canto da mesa", escreveu em 15 de julho último. "Avastin sem efeito. Glioblastoma [tumor maligno] progressivo em ambos os lados. Fim da quimioterapia. Operação Inútil. Eu sei o que isso significa."

Através do Twitter, a escritora Passig explicou na terça-feira que Herrndorf não havia morrido em consequência direta do tumor, mas que teria se suicidado com um tiro, à margem do Canal Hohenzollern, em Berlim. Nem a polícia nem a editora Rowohlt confirmaram a informação, mas um porta-voz da polícia confirmou que um homem teria se suicidado naquele local.

CA/dpa/epd

Leia mais