1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Wim Wenders retorna com novo filme sobre música

O cineasta de "Asas do Desejo" e "Buena Vista Social Club" volta às telas com outro documentário, desta vez sobre o grupo BAP, que se tornou conhecido no país nos anos 80 cantando em dialeto coloniano.

default

Banda BAP em cena do filme

Wim Wenders parece ter encontrado sua veia musical. Depois do sucesso internacional de Buena Vista Social Club, o cineasta alemão retorna com Viel passiert - Der BAP Film, um documentário sobre a banda alemã BAP, que canta no dialeto da cidade de Colônia.

Justamente por "querer finalmente entender o que eles cantam", Wenders decidiu filmar o universo da banda comandada por Wolfgang Niedecken, único membro que acompanhou o BAP desde o início. Ao que parece, o cineasta de Düsseldorf e o músico de Colônia encontraram suas semelhanças durante as filmagens. "Somos ambos músicos frustrados e temos muito o que agradecer ao rock and roll", disse Niedecken.

O filme apresenta uma colagem de impressões da cidade às margens do Reno, fotos de arquivo, matérias de jornais, entrevistas e trechos de shows ao vivo da banda, amarrados pelo comentário em off de Niedecken.

Sem tanta força - A crítica acha, entretanto, que o BAP, ao contrário do Buena Vista Social Club, não tem tanto apelo de público, nem se desenvolveu musicalmente da mesma forma desde o lançamento de seu primeiro hit nacional, Verdamp lang her (algo como "faz tempo pra caramba"), em 1982.

Na telona, fica claro que BAP é Wolfang Niedecken. A banda, que surgiu em 1976, já mudou sua formação várias vezes, mas Niedecken nunca desistiu. A partir da influência da música anglo-americana importada após a guerra – Elvis, Beatles, Kinks, Rolling Stones e Bob Dylan – ele descobriu o gosto de compor. Daí veio a idéia de fazer música com sotaque local.

Com um pouco de ironia, Wenders considera seu novo trabalho um filme sobre a terra natal. Motivo: ele ouviu BAP pela primeira vez em fitas cassete que seu irmão lhe enviava quando ele morou na Califórnia. Naquela época, as canções de Niedecken o conquistaram, com a melancolia típica da cinza Colônia.

Links externos