1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Globalização

"Wikipédia é um espelho das minhas convicções", diz fundador

Apesar de muitos terem apostado que ela não daria certo, a enciclopédia online Wikipédia é um dos sites mais bem-sucedidos na internet. A DW-WORLD conversou com Jimmy Wales, idealizador do projeto.

default

Logotipos da Wikipédia em vários idiomas

De 2003 a 2006, o norte-americano Jimmy Wales presidiu o conselho da Fundação Wikimedia, organização sem fins lucrativos que mantém projetos de edição colaborativa, entre eles a Wikipedia. Em 2004, ele criou o portal comercial Wikia, responsável por seu mais novo projeto, uma ferramenta de busca a ser lançada no fim de 2007.

DW-WORLD: A revista norte-americana Time elegeu você uma das cem pessoas mais influentes do mundo. Qual é a sensação de ser um dos modeladores do mundo?

Jimmy Wales: Eu achei isso engraçado. É claro que fiquei lisonjeado, mas a Tyra Banks – a top model – também estava na lista. Então, eu não sei se isso é realmente significativo. Mas eu sinto a responsabilidade de ocupar uma posição de influência e o que eu disser poderá ser ouvido. É por isso que procuro não dizer muito. Porque quero ter certeza de que só falo sobre aquilo em que realmente acredito.

Igualdade, completa liberdade e nenhuma hierarquia: essa filosofia só vale para a Wikipédia ou é a sua filosofia de vida?

Essa é minha filosofia de vida. Muito da Wikipédia é um espelho das minhas convicções. Muita gente acha que se há a crença de que todos devem participar, há também a de que a diferenciação entre certo e errado não importa e que qualquer opinião é igualmente válida.

Para essas pessoas pode parecer paradoxal, mas eu acredito que alguns não sejam assim tão inteligentes e, por isso, tão úteis. Mas manter aberta a possibilidade de participação significa que podemos receber muitas excelentes idéias das fontes mais variadas possíveis.

A Wikipédia deve todo seu sucesso à comunidade virtual, a todas as pessoas que, diariamente, escrevem artigos sem receber por isso. Qual o motivo de tanta gente trabalhar pela Wikipédia?

Eu acho que há duas razões para isso. Uma delas é que nossa missão inspira e move muitas pessoas. Mas eu não acredito que esse seja o principal motivo. As pessoas fazem isso principalmente porque se divertem.

É um grande hobby: as pessoas gostam do processo, gostam de encontrar outros intelectuais. Intuitivamente nós sabemos disso. Ninguém faria essa pergunta para alguém que joga futebol aos fins de semana: "Nossa, você está indo jogar futebol de graça?". Seria uma pergunta estúpida, é óbvio que essas pessoas só jogam futebol porque gostam. Com a Wikipédia é a mesma coisa. Algumas pessoas ganham muito dinheiro escrevendo, outras fazem isso só por prazer.

Interview Jimmy Wales

Jimmy Wales, o criador da Wikipédia

Parece que você também só faz isso para se divertir. Como a Wikipédia é um projeto sem fins lucrativos, você não recebe nada, apesar do enorme sucesso que a base de dados faz. Você já se arrependeu disso alguma vez?

Eu sempre faço a piada de que, no momento que eu registrei a Wikipédia como uma organização sem fins lucrativos, eu estava ou fazendo a maior burrice ou a coisa mais genial de toda minha vida. A burrice fica a cargo, é claro, do fato de eu agora conviver com bilionários e não ter dinheiro nenhum. A genialidade, por outro lado, porque eu não acho que a Wikipédia faria metade desse sucesso se funcionasse em outros termos e também porque acredito que ela será lembrada no futuro. Daqui a 100 ou 200 anos as pessoas vão lembrar da Wikipédia e dizer: "Aquilo foi uma coisa realmente boa e que beneficiou o mundo". Isso é uma coisa que me deixa muito orgulhoso.

Por que a Wikipédia não teria funcionado como uma organização comercial?

Eu acho que ser uma organização sem fins lucrativos foi o melhor caminho para uma enciclopédia que tem a missão de compartilhar conhecimento com o mundo. Isso significa que nós ainda podemos nos dar ao luxo de fazer as coisas do jeito certo em vez de sempre termos que nos curvar às circunstâncias econômicas do momento.


O YouTube, a plataforma de vídeos na internet, foi vendida por 1,65 bilhão de dólares (1,23 bilhão de euros). Por quanto você venderia a Wikipédia?

Eu não sei qual o valor da Wikipédia, isso é interessante. Não há tantas propostas assim. Acredito que seja possível encher a página de anúncios e ganhar algum dinheiro com isso. A Wikimedia Foundation – dona da Wikipédia – tem o poder de vendê-la. Ninguém está interessado em fazer isso, mas se aparecesse uma proposta de 3 bilhões de dólares, a fundação certamente pararia para pensar no que poderia ser feito dentro de seus propósitos de distribuição de conhecimento antes de simplesmente dizer não.

O seu novo projeto, um mecanismo de busca a ser lançado no fim deste ano pela empresa Wikia, será comercial. Por que você mudou de idéia?

Para alguns tipos de projeto – se você pensar em hospitais ou na Cruz Vermelha – o modelo de funcionamento através de doadores ou voluntários funciona muito bem. As pessoas estão dispostas a doar dinheiro suficiente para que esses projetos se mantenham. Mas não há casos de grandes redes de supermercados que tenham sobrevivido de doações. Acho que diferentes tipos de projeto demandam diferentes tipos de organização.

Já existem vários mecanismos de busca na rede. Por que o mundo precisa de outro?

As ferramentas de busca que temos hoje em dia são como caixas-pretas e não transparentes. Elas não são controladas pela comunidade virtual e a qualidade é... bem, é boa, mas estagnou nos últimos dois ou três anos. Existem muitos pontos em que essas ferramentas não melhoraram como nós esperávamos e gostaríamos que tivesse acontecido. Eu não sei como melhorar essas ferramentas além do que já existe nos dias de hoje, mas uma discussão aberta e científica na comunidade virtual de como fazer isso provavelmente vai trazer avanços. De qualquer forma, é divertido. Eu sempre faço o que acredito que será divertido.

E qual será a próxima novidade no mundo virtual?

Eu não sei. Eu sempre gosto de lembrar que há cinco anos eu era uma pessoa comum que ficava sentada de pijama em casa navegando na internet. E agora eu recebo perguntas profundas sobre o futuro. A tendência que eu percebo hoje em dia é que nós estamos engatinhando no livre compartilhamento de cultura [copyleft] e na criação de comunidades que produzam trabalhos de qualidade na internet. Eu acho que ainda há muito espaço nessas áreas.

Jimmy Wales nasceu no Alabama, EUA, em 1966. Estudou Ciências Contábeis e trabalhou como diretor de pesquisa na bolsa de câmbio de Chicago. Em 2001 ele fundou a Wikipedia, que é um projeto de uma enciclopédia de conteúdo livre, em vários idiomas, baseada na internet. Ela é escrita a partir de colaboradores voluntários e a maioria dos artigos pode ser editada por qualquer um que tenha acesso à internet. Hoje vive na Flórida com esposa e filha.

Leia mais

  • Data 03.07.2007
  • Autoria Christine Elsaeßer (jl)
  • Compartilhar Enviar Facebook google+
  • Imprimir Imprimir a página
  • Link permanente http://p.dw.com/p/BCE2
  • Data 03.07.2007
  • Autoria Christine Elsaeßer (jl)
  • Compartilhar Enviar Facebook google+
  • Imprimir Imprimir a página
  • Link permanente http://p.dw.com/p/BCE2