Volkswagen e Porsche acertam fusão com participação do Catar | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 14.08.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Volkswagen e Porsche acertam fusão com participação do Catar

Porsche será a décima marca da Volkswagen, mas manterá autonomia. Emirado árabe do Catar injeta dinheiro nas duas empresas e se torna terceiro maior acionista da VW.

default

Após meses de negociações, empresas selam formação de um conglomerado comum

Após meses de disputa, a Volkswagen e a Porsche eliminaram as divergências que restavam e anunciaram nesta sexta-feira (14/08) sua integração em um único conglomerado. A Porsche se tornará a décima marca do grupo VW, mas manterá sua autonomia. Para financiar a incorporação da tradicional marca de carros esportivos de luxo, a Volkswagen planeja elevar o seu capital em 4 bilhões de euros.

O acordo selado pelos conselhos de administração de ambas as empresas nesta quinta-feira prevê a fusão para 2011. O presidente da Volkswagen, Martin Winterkorn, saudou o consenso, afirmando que o novo conglomerado terá um espectro ímpar de modelos de veículos, presença global e alta competência tecnológica.

Com a lucrativa montadora alemã de carros esportivos, a VW pretende acirrar a concorrência com a Toyota, líder do setor automobilístico. As famílias Piëch e Porsche se mantêm as maiores acionistas da Volkswagen. No entanto, sua participação no conglomerado, após a fusão, deverá cair para 35% a 40%. Até agora a Porsche Holding, controlada pelas duas famílias, detinha quase 51% da ações da Volkswagen.

Catar sela participação da Porsche e na VW

Nesta sexta-feira, a Porsche confirmou ainda que o emirado árabe do Catar terá uma participação acionária no novo conglomerado. O Catar assumirá a maioria das opções de compra de ações da VW hoje detidas pela Porsche, tornando-se o terceiro maior acionista da Volks, ao lado do estado alemão da Baixa Saxônia, com uma participação em torno de 20%.

Ao assumir o compromisso, o Catar aliviará a Porsche de ter de gastar mais de 1 bilhão de euros na compra dessas ações.

Além disso, o Catar comprará 10% das ações da Porsche hoje em poder da Porsche Holding, o que corresponde a 5% do capital da montadora de carros esportivos. Caso a fusão entre a Volkswagen e a Porsche não se consume até 2011, o Catar pode vender essa cota de volta às famílias Porsche e Piëch.

SL/dpa/rtrd
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais