1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

"Voar é mais seguro do que ficar em casa", diz especialista

Perito em aviação afirma que humanos têm dificuldade em assimilar a real probabilidade de acidentes. Segundo ele, setor aéreo é extremamente confiável e continua a ampliar sua segurança.

Tragédias como a do voo 4U-9525 da Germanwings assustam. Mas o avião ainda é tido como o meio de transporte mais confiável do mundo. "Voar é mais seguro do que ficar em casa", diz, em entrevista à DW, o jornalista especialista em aviação John Walton.

Em 2014, por exemplo, ocorreu apenas um acidente aéreo a cada 4,4 milhões de voos. A proporção é de 0,23 acidente por milhão de voos sendo, portanto, o nível mais baixo da história da aviação. Em 2013, a quota ficou em 0,41.

DW: Considerando

o que se sabe até agora

, o voo 4U-9525 perdeu contato e teve uma queda de oito minutos antes de se chocar. Quais são as possíveis causas desse acidente?

John Walton: Nós não podemos dizer nada agora sobre as causas do acidente sem fazer uma especulação, o que não seria responsável.

Como se pode classificar a segurança aérea após esse ultimo acidente?

Voar é mais seguro do que ficar em casa. Existem muito mais acidentes domésticos do que no ar. Claro, da maneira como nossa mente funciona, voar é o que conhecemos como arriscado. Humanos são péssimos para assimilar a real probabilidade de acidentes que são mais raros, mas que causam maior impacto. As pessoas devem estar conscientes de que a indústria da aviação é extremamente segura e continua a ampliar a sua segurança. Esse acidente, como todos os outros, resultará em melhorias na aviação.

Como o desastre pode afetar a indústria dos transportes aéreos? A companhia alemã Germanwings realiza voos de curta e média distância, e as pessoas teriam alternativas para chegar ao destino desejado.

Duvido que o acidente cause impactos significativos. A Germanwings, que pertence ao grupo Lufthansa, é uma operadora muito segura. O desastre não deve gerar grandes impactos para ninguém. Claro, existem pessoas que associarão o nome da empresa com o incidente, o que é lamentável, já que ela é muito segura e responsável.

A Germanwings já tem lutado com

as greves dos pilotos.

Como o desastre pode afetar o grupo Lufthansa e suas subsidiárias?

Eu não tenho certeza se é possível afirmar alguma coisa nesse momento. Acho que isso é algo que as pessoas vão começar a pensar nos próximos dias ou semanas, enquanto elas acompanham o que aconteceu com essa aeronave.

Leia mais