1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Vitorioso, Tsipras reafirma fim da austeridade na Grécia

Líder da aliança esquerdista Syriza, vencedora das eleições parlamentares, reforça suspensão do "desastroso" programa de austeridade e propõe renegociação da dívida grega. "Hoje nós fizemos história", comemora.

Vitorioso nas eleições parlamentares deste domingo (25/01), o líder do partido de esquerda Syriza, Alexis Tsipras, declarou que o resultado das urnas representa o "fim da austeridade e da humilhação, assim como as frequentes e desgastantes inspeções das dívidas do país, que agora são coisa do passado".

Em pronunciamento feito em Atenas, Tsipras afirmou que o país vai trabalhar junto a seus credores – a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional – na busca de uma saída "viável" para a dívida de cerca de 300 bilhões de euros, mas que está determinado a deixar para trás o "desastroso programa de austeridade".

"Hoje nós escrevemos história", afirmou o esquerdista, que deverá ser escolhido novo primeiro-ministro grego. Segundo ele, o país apresentará seu próprio plano de reforma.

Mais cedo, o atual primeiro-ministro grego, Antonis Samaras, reconheceu a derrota de seu partido, Nova Democracia, e congratulou os opositores. "O povo grego se expressou e todos nós vamos respeitar esta decisão. Tenho a consciência tranquila", afirmou Samaras, ressaltando que assumiu o governo em 2012 quando o país estava "à beira de uma catástrofe", e lembrando que recebeu "uma batata quente nas mãos".

Wahl in Griechenland 25.01.2015

População comemorou a vitória da aliança esquerdista nas urnas

O êxito da aliança de esquerda sobre os governistas foi confirmado logo no

primeiro balanço oficial

da apuração dos votos. Levantamento parcial já mostrava o Syriza com cerca de 36% dos votos, uma vitória clara sobre a legenda de Samaras, que chega em segundo, com 28%.

A expectativa agora é com relação ao número exato de cadeiras que o Syriza vai assumir no Parlamento, para ter certeza se o partido conquistará a maioria absoluta dos 300 assentos. Resultados parciais mostram a legenda com algo entre 149 e 151 assentos. A Nova Democracia deve chegar a 76 cadeiras.

O terceiro mais votado, segundo projeção oficial parcial, foram os radicais de direita do partido Aurora Dourada, com 6,3%, ou 17 assentos.

Corte da dívida

O resultado das urnas é visto como decisivo para a futura política social e econômica do país altamente endividado. Tsipras, que aos 40 anos deverá ser o primeiro-ministro mais jovem da história da Grécia, pretende manter o país na zona do euro, mas rejeita as imposições dos credores impostas ao país.

O líder do Syriza exige um corte da dívida, algo que os credores da chamada troica – União Europeia, Fundo Monetário Internacional e Banco Central Europeu – rejeitam categoricamente.

CA/MSB/dpa/afp

Leia mais