1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Visita de Blair gera especulações sobre um eixo Berlim-Londres

Um encontro de trabalho entre o chanceler federal alemão Gerhard Schröder e o primeiro-ministro britânico Tony Blair, em Berlim, na noite do domingo, gerou especulações sobre a formação de um eixo entre os seus países.

default

Tony Blair (esq.) reuniu-se em Berlim com o chanceler Gerhard Schröder

Uma curta visita do primeiro-ministro Tony Blair a Berlim, bem como a sua destacada participação num talkshow da canal de televisão ARD, levaram o conceituado jornal londrino The Times a especular sobre a possível formação de uma aliança política especial entre Londres e Berlim. Segundo o jornal, os alemães teriam percebido, durante a campanha eleitoral francesa nos meses passados, que o eixo Paris-Berlim já não oferece mais nenhuma perspectiva.

Schröder e Blair encontraram-se em Berlim na noite do domingo (12/05), para uma reunião de trabalho. Tema dominante do encontro foram o Afeganistão e os acontecimentos no Oriente Médio, além da tendência de crescimento dos partidos de extrema direita em toda a Europa.

Oriente Médio

Segundo Schröder, existe consenso entre Berlim e Londres, no sentido de que a União Européia, a Rússia, as Nações Unidas e os Estados Unidos devem prosseguir seus esforços conjuntos em busca de uma solução pacífica e duradoura para o conflito do Oriente Médio.

Tony Blair, por sua vez, conclamou os países democráticos de todo o mundo a uma cooperação, com o intuito de impedir que o Iraque produza armas de extermínio de massa.

Extrema direita

O chanceler federal Gerhard Schröder e o primeiro-ministro britânico Tony Blair conclamaram todos os democratas a envidarem esforços, a fim de conter o avanço dos partidos de extrema direita na Europa. O chanceler alemão atribuiu tal tendência à ansiedade dos diversos eleitorados nacionais por maior segurança interna.

O ressurgimento do nacionalismo representaria, contudo, uma ameaça para o processo de unificação européia, afirmaram os dois chefes de governo.