1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Vinho tinto supera branco na preferência dos alemães

Foi inaugurada neste domingo, em Düsseldorf, a feira internacional ProWein, que este ano conta com uma participação recorde de 2846 expositores.

default

Consumo per capita é de quase 24 litros por ano na Alemanha

O vinho tinto conquistou o paladar dos alemães. Na terra do vinho branco, em 2001 bebeu-se pela primeira vez mais vinho tinto, anunciou o Instituto Alemão do Vinho, com sede em Mainz, às vésperas da abertura da ProWein, a feira internacional do vinho, em Düsseldorf. Vindos de 43 países, 2846 expositores dela participam, o que é um recorde nos nove anos de história do evento.

O Brasil está representado somente pela Cooperativa de Produção e Promoção da Cachaça, de Belo Horizonte. A maior parte dos expositores vem dos países tradicionais de cultivo na Europa: Alemanha, Itália, França, Áustria e Espanha.

Alemão bebe quase 24 litros por ano - O consumo per capita na Alemanha foi de 23,9 litros por ano, em 2001, permanecendo no mesmo nível do ano anterior. Enquanto o de vinho tinto veio aumentando constantemente até atingir 51% do total, o vinho branco perdeu 20% do mercado somente nos últimos quatro anos.

Os vinicultores alemães já se adaptaram à mudança de gosto, tendo destinado um quarto da superfície de cultivo a espécies de uvas tintas. A fim de atender à crescente demanda, eles aumentarão a proporção para um terço nos próximos anos.

A queda constante do consumo de cerveja na Alemanha deixa otimistas os vinicultores, que apostam em maior demanda do seu produto. "Beber vinho é como tirar uns dias de folga. Após um dia pesado de trabalho, nada como relaxar e tomar um bom vinho com a refeição", diz o gerente do instituto, Armin Göring.

Quarto mercado do mundo - A Alemanha é o quarto maior mercado de vinho do mundo, com um consumo de 1,97 bilhão de litros em 2001. Como a produção nacional de 920 milhões de litros não é suficiente para abastecer o mercado alemão, os apreciadores recorrem aos importados, principalmente dos países europeus.

Quem gosta de experimentar novidades, prova os vinhos do leste europeu, dos EUA, Chile ou África do Sul. O preço médio da garrafa de vinho manteve-se constante em 3 euros (R$ 6,20).

Links externos