1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

América Latina

Venezuelanos manifestam apoio a Chávez em dia marcado para posse

Mesmo com cerimônia oficial adiada por tempo indeterminado, apoiadores do líder socialista realizam ato simbólico em Caracas. Oposição quer laudo médico sobre real estado de saúde do presidente.

Milhares de venezuelanos foram às ruas em Caracas nesta quinta-feira (10/01) para celebrar o início do quarto mandato do presidente Hugo Chávez. Hospitalizado há um mês em Cuba, após uma cirurgia para retirada de um tumor, o líder venezuelano não pode comparecer à cerimônia de posse, adiada por tempo indeterminado.

A situação é inédita no país. No início de dezembro, ele anunciou que faria a quarta cirurgia em apenas 18 meses. Desde então, o líder socialista de 58 anos não é visto nem ouvido em público, nem tem se comunicado com seus seguidores pelo Twitter, como havia feito em ocasiões anteriores.

Na quarta-feira, o Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) da Venezuela descartou a necessidade de realizar novas eleições imediatamente e autorizou o adiamento da posse de Chávez, cujo novo mandato vai até 2019. Ainda assim, milhares de apoiadores do presidente aglomeraram-se nos arredores do Palácio de Miraflores para acompanhar um juramento simbólico, em substituição ao evento que aconteceria no Parlamento venezuelano.

Muitos se mostravam confiantes no retorno, em breve, do líder. "Estamos aqui apoiando o presidente, que está passando por um momento difícil", afirmou o estudante José Navarro, de 24 anos. "O artigo 5 (da Constituição) diz que o poder reside no povo e o povo o elegeu no dia 7 de outubro de maneira unânime."

Já a oposição acusa o governo de minimizar a gravidade do problema de Chávez e defende que uma junta médica confirme seu verdadeiro de saúde e determine se ele pode ou não voltar ao poder.

Chavez está hospitalizado há um mês em Cuba

Chavez está hospitalizado há um mês em Cuba

No entanto, em sua sentença, a corte suprema – que nos últimos dez anos vem dando sentenças favoráveis ao presidente – garantiu que o gabinete presidencial deverá manter suas atividades e considerou desnecessário que uma junta médica analise as condições de saúde de Chávez.

Apoio latino-americano

Mesmo sem a presença de Hugo Chávez, diversas autoridades latino-americanas estiveram em Caracas para a posse simbólica, vindas da Bolívia, do Equador, da Nicarágua e do Haiti. O destino do líder venezuelano é importante para muitos países do continente que se beneficiam da cooperação energética e comercial baseada na afinidade ideológica de seus mandatários.

As manifestações de apoio a Chávez não se limitaram à Venezuela. No Uruguai, cerca de 200 pessoas se concentraram na Praça Independência, em Montevidéu, para mostrar apoio ao líder venezuelano. Também houve manifestações na cidade colombiana de Cúcuta, perto da fronteira com a Venezuela.

MSB/rtr/dpa
Revisão: Francis França

Leia mais