1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

"Velhinhos" da França querem evitar fiasco contra Coréia do Sul

Após o empate sem gols contra a Suíça na estréia, franceses querem recuperar bom futebol do Mundial de 1998 e evitar um fiasco como a eliminação na primeira fase, há quatro anos.

default

Meia Malouda (e) volta à equipe francesa, após se recuperar de hemorróida

Duas grandes surpresas marcaram a Copa de 2002 na Coréia do Sul e no Japão: os sul-coreanos chegaram às semifinais, enquanto a França, então campeã mundial, foi eliminada na primeira fase sem marcar um único gol.

Neste ano na Alemanha, o temor dos franceses de repetirem o fiasco de 2002 funciona como uma injeção de ânimo para os sul-coreanos. Além disso, depois da vitória de 2 a 1 sobre Togo na estréia e do empate sem gols da França com a Suíça, eles lideram o grupo G.

"É humano que você se lembre de tais experiências terríveis. Você não quer que essa história se repita. E exatamente essa preocupação rouba muita energia e força", diz o lateral-direiro Sagnol, que joga no Bayern de Munique.

A estatística favorece os franceses, que ganharam os dois jogos disputados até hoje contra a Coréia do Sul ( 5 a 0 e 3 a 2). Mas os sul-coreanos não se importam com o passado e encaram com tranqüilidade a partida deste domingo (18/06) em Leipzig (21h – 16h de Brasília).

"Não estamos tanto sob pressão como eles, que precisam vencer. Do contrário, terão grandes dificuldades", diz o atacante Seol Ki Hyeon, que anuncia uma batalha dura: "Queremos ganhar este jogo."

A equipe sul-coreana, treinada pelo técnico holandês Dick Advocaat, preparou-se intensivamente e não pretende cometer o erro de concentrar suas atenções apenas em Zinedine Zidane e Thierry Henry. "Treinamos principalmente estratégias para nos defender contra os franceses", revela Young Pyo, acrescentando, porém, que não haverá marcação homem a homem.

O técnico francês Raymond Domenech encara os asiáticos com respeito e adverte seus jogadores: "A partida não será mais fácil do que a estréia contra a Suíça. Eles sabem defender, atacar e têm uma equipe bem organizada."

Domenech, que contará com o retorno do meia Malouda (recuperado de uma hemorróida), diz que o forte dos sul-coreanos é a velocidade, o que pode ser um problema para a "idosa" seleção francesa.

Críticas à idade da seleção francesa

A imprensa francesa tem disparado críticas violentas contra a equipe tricolor, que tem idade média de cerca de 30 anos. Entre os "velhinhos" estão figuras fundamentais, como Zidane, Barthez, Thuram e Makelele. Thuram fará sua 116ª partida pela seleção francesa contra os asiáticos – um recorde na tricolor.

"Se realmente somos uma seleção de aposentados, então o Milan é um time que deveria ser jogado no lixo. Qualquer jornalista elogia Paolo Maldini, com seus 37 anos, ou Costacurta, que tem 40 anos", rebate Sagnol.

O técnico sul-coreano Dick Advocat está preocupado com o fato de os franceses já estarem em apuros no segundo jogo da Copa. "Mas, se conseguirmos pressioná-los como fez a Suíça, então talvez possamos atropelá-los", prevê. A última vitória dos franceses num Mundial ocorreu na final de 1998, contra o Brasil.

FRANÇA x CORÉIA DO SUL

Data: 18/6/2006
Local: Zentralstadion, em Leipzig
Horário: 21h (16h de Brasília)
Árbitro: Benito Archundia (México)
Assistentes: J. Ramirez (México) e H. Vergara (Canadá)

França
Barthez; Sagnol, Thuram, Gallas e Abidal; Vieira e Makelele; Wiltord, Zidane e Malouda; Henry.
Técnico : Raymond Domenech

Coréia do Sul
Woon-jae; Chong-gug, Choi e Jin-kyu; Young-pyo, Park, Ho, Eul-yong; Chun-soo, Ahn e Ki-hyeon.
Técnico : Dick Advocaat

Leia mais