″Velhinhos″ da França querem evitar fiasco contra Coréia do Sul | Fique informado sobre tudo o que acontece na Copa do Mundo | DW | 18.06.2006
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

"Velhinhos" da França querem evitar fiasco contra Coréia do Sul

Após o empate sem gols contra a Suíça na estréia, franceses querem recuperar bom futebol do Mundial de 1998 e evitar um fiasco como a eliminação na primeira fase, há quatro anos.

default

Meia Malouda (e) volta à equipe francesa, após se recuperar de hemorróida

Duas grandes surpresas marcaram a Copa de 2002 na Coréia do Sul e no Japão: os sul-coreanos chegaram às semifinais, enquanto a França, então campeã mundial, foi eliminada na primeira fase sem marcar um único gol.

Neste ano na Alemanha, o temor dos franceses de repetirem o fiasco de 2002 funciona como uma injeção de ânimo para os sul-coreanos. Além disso, depois da vitória de 2 a 1 sobre Togo na estréia e do empate sem gols da França com a Suíça, eles lideram o grupo G.

"É humano que você se lembre de tais experiências terríveis. Você não quer que essa história se repita. E exatamente essa preocupação rouba muita energia e força", diz o lateral-direiro Sagnol, que joga no Bayern de Munique.

A estatística favorece os franceses, que ganharam os dois jogos disputados até hoje contra a Coréia do Sul ( 5 a 0 e 3 a 2). Mas os sul-coreanos não se importam com o passado e encaram com tranqüilidade a partida deste domingo (18/06) em Leipzig (21h – 16h de Brasília).

"Não estamos tanto sob pressão como eles, que precisam vencer. Do contrário, terão grandes dificuldades", diz o atacante Seol Ki Hyeon, que anuncia uma batalha dura: "Queremos ganhar este jogo."

A equipe sul-coreana, treinada pelo técnico holandês Dick Advocaat, preparou-se intensivamente e não pretende cometer o erro de concentrar suas atenções apenas em Zinedine Zidane e Thierry Henry. "Treinamos principalmente estratégias para nos defender contra os franceses", revela Young Pyo, acrescentando, porém, que não haverá marcação homem a homem.

O técnico francês Raymond Domenech encara os asiáticos com respeito e adverte seus jogadores: "A partida não será mais fácil do que a estréia contra a Suíça. Eles sabem defender, atacar e têm uma equipe bem organizada."

Domenech, que contará com o retorno do meia Malouda (recuperado de uma hemorróida), diz que o forte dos sul-coreanos é a velocidade, o que pode ser um problema para a "idosa" seleção francesa.

Críticas à idade da seleção francesa

A imprensa francesa tem disparado críticas violentas contra a equipe tricolor, que tem idade média de cerca de 30 anos. Entre os "velhinhos" estão figuras fundamentais, como Zidane, Barthez, Thuram e Makelele. Thuram fará sua 116ª partida pela seleção francesa contra os asiáticos – um recorde na tricolor.

"Se realmente somos uma seleção de aposentados, então o Milan é um time que deveria ser jogado no lixo. Qualquer jornalista elogia Paolo Maldini, com seus 37 anos, ou Costacurta, que tem 40 anos", rebate Sagnol.

O técnico sul-coreano Dick Advocat está preocupado com o fato de os franceses já estarem em apuros no segundo jogo da Copa. "Mas, se conseguirmos pressioná-los como fez a Suíça, então talvez possamos atropelá-los", prevê. A última vitória dos franceses num Mundial ocorreu na final de 1998, contra o Brasil.

FRANÇA x CORÉIA DO SUL

Data: 18/6/2006
Local: Zentralstadion, em Leipzig
Horário: 21h (16h de Brasília)
Árbitro: Benito Archundia (México)
Assistentes: J. Ramirez (México) e H. Vergara (Canadá)

França
Barthez; Sagnol, Thuram, Gallas e Abidal; Vieira e Makelele; Wiltord, Zidane e Malouda; Henry.
Técnico : Raymond Domenech

Coréia do Sul
Woon-jae; Chong-gug, Choi e Jin-kyu; Young-pyo, Park, Ho, Eul-yong; Chun-soo, Ahn e Ki-hyeon.
Técnico : Dick Advocaat

Leia mais