1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Vaiado e aplaudido, Balotelli dá vitória à Itália no Maracanã

Atacante do Milan, que começou a partida hostilizado e terminou com o nome gritado pela torcida, comanda triunfo italiano contra o México ao lado de Pirlo. Fora do estádio, novos protestos e confrontos com a polícia.

A Itália estreou com o pé direito graças a um gol na raça de Mario Balotelli e venceu o México, por 2 a 1, no fechamento da primeira rodada do grupo A da Copa das Confederações. O jogo, disputado neste domingo (16/06) no estádio do Maracanã, teve um início eletrizante.

O técnico da Itália, Cesare Prandelli, mandou para a partida uma Squadra Azzurra com jogadores de apenas três equipes diferentes. Eram seis da Juventus, quatro do Milan e um da Roma. Entre as surpresas na escalação, estavam o meia Emanuele Giaccherini e o jovem zagueiro Mattia De Sciglio.

Mario Balotelli, que era dúvida para o confronto, começou jogando e logo no quarto minuto do primeiro tempo quase marcou um golaço. Após erro de passe do zagueiro Francisco Rodríguez, o “Super Mario” interceptou a bola na intermediária mexicana e tentou encobrir o goleiro Corona, que estava adiantado.

FIFA Confederations Cup Mexiko Italien

Andrea Pirlo marcou seu primeiro gol de falta pela seleção italiana desde a Copa do Mundo de 2006

Um minuto depois, a primeira grande chance para a Itália. Montolivo cruzou para Balotelli que, de primeira, obrigou Corona a fazer uma defesa complicada. A pressão italiana não parou nos minutos iniciais. Giaccherini e novamente Balotelli causaram arrepios ao goleiro mexicano.

A resposta mexicana veio no décimo minuto. Giovani dos Santos dividiu com Abate na linha de fundo e rolou para Andrés Guardado, que de primeira acertou o travessão do goleiro Buffon.

Começo movimentado no Maracanã. A Itália encontrava espaços nas costas do lateral-esquerdo Flores, e o México aproveitava a velocidade de Giovani dos Santos. Aos 16 minutos, Andrea Pirlo recebeu na grande área, dividiu com Guardado e caiu pedindo pênalti. O ábitro chileno Enrique Osses mandou seguir.

FIFA Confederations Cup Mexiko Italien

Chicharito Hernández cobra pênalti com perfeição empatando o jogo no Maracanã

Mas quis o destino que dez minutos mais tarde, Pirlo, que fez a sua centésima aparição com a camisa da Squadra Azzurra, abrisse o placar marcando o primeiro gol em competição oficial do novo Maracanã . Em cobrança de falta, o meia da Juventus acertou o canto superior esquerdo do goleiro Corona. Pirlo é o quinto jogador e apenas o primeiro meio-campista italiano a alcançar a marca de 100 jogos pela Azzurra.

O empate mexicano não tardou. Aos 32 minutos do primeiro tempo, o zagueiro Barzagli cortou com a bola para o lado errado, Giovani dos Santos roubou a bola e foi derrubado na grande área. Pênalti, que Chicharito Hernández converteu, deslocando Buffon. Foi o 33º gol de Chicharito em 51 partidas pela seleção mexicana. E de quebra, foi o primeiro gol de pênalti para o México em Copas das Confederações desde 1997.

Mexicanos sem força para reagir

O segundo tempo começou mais truncado, com mais faltas e perdeu em velocidade. E, aos 8 minutos, em outra cobrança de falta de Pirlo, a bola resvalou na barreira, sobrou para Montolivo, que de dentro da pequena área praticamente recuou a bola para o goleiro mexicano. As melhores chances italianas saíam em bolas paradas, sempre cobradas por Pirlo.

FIFA Confederations Cup Mexiko Italien

Andrea Pirlo completou 100 jogos com a Itália e de quebra marcou seu 13º gol pela Squadra Azzurra

Nos minutos seguintes, dois lances que causaram reclamações em ambos os lados. Aos 14 minutos, Chicharito pediu falta na meia-lua da área e, no minuto seguinte, Balotelli também reclamou de empurrão, já na entrada da área mexicana. O juiz chileno nada marcou.

A partida seguiu morna até o minuto 32 do segundo tempo, quando Mario Balotelli recebeu lançamento de Giaccherini, ganhou a dividida com dois zagueiros mexicanos, aproveitou o erro de Francisco Rodríguez e de carrinho estufa as redes do México. Na comemoração, Super Mario, que vinha sendo hostilizado por parte da torcida no Maracanã, tirou a camisa e recebeu cartão amarelo. Depois, chegou a ter seu nome gritado pelos torcedores.

"Ele precisa parar de fazer exibicionismo com seus músculos", disse o Cesare Prandelli, reclamando do atacante por tirar a camisa após o gol e levar cartão amarelo.

Na sequência, faltaram energia e condição física para a seleção mexicana. Tirando um chute despretensioso de Raúl Jiménez para fácil defesa de Buffon, o México nada pode fazer para empatar a partida.

Esta foi a primeira vitória da Itália contra o México em campo de jogo neutro e também a primeira vitória no Maracanã – na única vez que a Azzurra havia pisado no estádio perdeu para o Brasil por 2 a 0, em 1956.

A segunda partida da Copa das Confederações foi também o segundo ato de protestos nas redondezas dos estádios. Antes e durante o jogo no Maracanã, cerca de 1.500 pessoas protestaram contra os altos gastos com a Copa do Mundo e contra o aumento na tarifa de transporte público. Houve confronto com o Batalhão de Choque da Polícia Militar, e os manifestantes foram dispersados com tiros de balas de borracha e gás lacrimogênio.

Ficha técnica

Local: Maracanã

Arbitragem: Enrique Osses (Chile), auxiliado por seus compatriotas Carlos Cardenas e Sergio Retamal.

Gols: Pirlo (26 do primeiro tempo); Chicharito (33 do primeiro tempo); Balotelli (32 do segundo tempo).

Cartões amarelos: Moreno e Giovani dos Santos (México); De Rossi, Balotelli e Barzaqli (Itália).

México: José Corona; Gerardo Flores, Francisco Rodríguez, Héctor Moreno e Carlos Salcido; Jesús Zavala (Raúl Jiménez), Gerardo Torrado, Andrés Guardado e Javier Aquino (Hiram Mier); Giovani dos Santos e Chicarito Hernández. Técnico: José Manuel de la Torre.

Itália: Gianluigi Buffon; Iganzio Abate, Mattia De Sciglio, Giorgio Chiellini e Andrea Barzagli; Daniele De Rossi, Claudio Marchisio (Alessio Cerci), Riccardo Montolivo e Andrea Pirlo; Emanuele Giaccherini (Alberto Aquilani) e Mario Balotelli (Alberto Gilardino). Técnico: Cesare Prandelli