1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Völler fica no comando até a Copa de 2006

Presidente da Federação Alemã de Futebol anuncia que contrato será renovado, após acordo com o Bayer Leverkusen. Völler torna-se finalmente técnico titular da Seleção Alemã, encerrando seu período de interinidade.

default

82% dos alemães queriam que Völler continuasse no cargo

A Federação Alemã de Futebol (DFB) ganhou a queda de braço com o Bayer Leverkusen. Numa entrevista coletiva no Aeroporto Internacional de Frankfurt, nesta sexta-feira, o presidente da DFB, Gerhard Mayer-Vorfelder, anunciou aliviado que Rudi Völler permanecerá como técnico da Seleção Alemã até a Copa do Mundo de 2006. Por enquanto, há apenas um entendimento verbal. "Ainda existem pontos a serem esclarecidos", justificou o presidente.

O treinador tem um contrato de diretor de Esportes com o Bayer Leverkusen válido até junho de 2003 e vem acumulando as duas funções. "O contrato com o Leverkusen será rescindido em 31 de dezembro e Völler passará a dedicar-se exclusivamente à federação", declarou Mayer-Vorfelder, após uma maratona de negociações com a direção do clube.

"Somos gratos ao Bayer Leverkusen pela justa concessão. Do ponto de vista da DFB, foi uma boa decisão, que esperamos trazer um impulso para a seleção nacional", disse o presidente da federação. O clube não abriu mão de seu diretor de graça. Acertou com a DFB que a federação assumirá o salário que Völler recebe do Leverkusen. De quebra, Mayer-Vorfelder aceitou realizar um amistoso da Seleção Alemã contra a Áustria no estádio Bay-Arena, do líder da Bundesliga.

Finalmente titular – Com isto, Völler chega finalmente a um contrato de titular da função. Ele assumiu o cargo como solução provisória em julho de 2000, após o fracasso da seleção na Eurocopa. A princípio, a escolha da federação recaíra sobre Christoph Daum, então treinador do Leverkusen. No entanto, o clube não quis liberá-lo e foi feito um acerto de cavalheiros de que Völler comandaria a seleção até o fim do contrato de Daum com o clube, em junho deste ano.

No entanto, os ventos tomaram outros rumos. Bombardeado por denúncias alimentadas sobretudo por Uli Hoeness, diretor do Bayern de Munique, Daum submeteu-se a um exame que comprovou consumo de cocaína. De uma só vez, o treinador viu esvaírem-se seu emprego no Leverkusen e seu sonho de dirigir a seleção. De provisório, Völler passou a interino no cargo, com contrato somente até o fim das Eliminatórias.

O campeão mundial de 1990 afirma que só decidiu continuar à frente da equipe após a classificação para a Copa. "O mais importante para mim foi que, após os jogos contra a Ucrânia, tive a sensação de que algo estava amadurecendo", disse.

Era Völler – A Alemanha obteve sua vaga na Copa somente na repescagem contra a Ucrânia, a qual goleou por 4 a 1, com bela exibição, na segunda partida, em Dortmund. A vitória recuperou o moral do time, que vinha abatido desde o vergonhoso 5 a 1 tomado da Inglaterra em Munique, quando os alemães deixaram escapar a classificação direta para o mundial de 2002.

Desde que Völler assumiu o comando da seleção após o fracasso na Eurocopa, o selecionado nacional soma nove vitórias, três empates e três derrotas. Uma pesquisa do instituto Forsa, em meados de novembro, identificou que 82% dos alemães eram a favor da continuidade do treinador à frente da equipe.