1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Vítima fatal em transporte de lixo atômico

Ativista de 21 anos morre ao ser atropelado por trem levando detritos atômicos da França para a Alemanha. Na Baixa Saxônia, manifestantes prestam homenagem à vítima e reforçam protesto antinuclear.

default

Trem contendo resíduos atômicos atropela ativista

O jovem foi atropelado neste domingo (7/11) pelo trem que levava lixo atômico da usina francesa La Hague para o depósito provisório de Gorleben, na Alemanha. A vítima, que estava sentada sobre os trilhos em sinal de protesto contra o transporte de material atômico, teve as duas pernas amputadas ao ser atropelado pelo trem, vindo a falecer em seguida. O acidente aconteceu, apesar das rígidas medidas de segurança que envolvem o transporte de resíduos radioativos.

Outros ativistas, que participavam das ações de protesto, conseguiram sair a tempo dos trilhos, ao perceberem que o trem se aproximava. Segundo informou a polícia francesa, o maquinista só veio a puxar os freios de emergência tarde demais. Um porta-voz da organização atinuclear Sortier du Nucleaire afirmou que o acidente deixou mais três feridos.

Homenagem e protestos

Em Hitzacker, na Baixa Saxônia – cidade próxima ao destino final do material atômico – centenas de pessoas prestaram homenagem à vítima, munidas de velas e lampiões em prol de um “fechamento de usinas atômicas em todo o mundo”. A passeata contou ainda com a participação de vários agricultores da região.

O acidente foi o primeiro da história envolvendo o transporte de material atômico entre a França e a Alemanha. Há mais de duas décadas, manifestantes se posicionam no percurso entre a usina de La Hague e o depósito de Gorleben, embora nos últimos anos o movimento antinuclear tenha perdido em número de participantes e em força.

O Partido Verde, que no passado participava ativamente da organização dos protestos e hoje faz parte da coalizão de governo em Berlim, alertou os manifestantes para que tomem cuidado durante os protestos. O ministro verde do Meio Ambiente, Jürgen Trittin, enviou à França condolências pela morte do jovem.

Ativistas alemães declararam estar “completamente chocados” com o acidente que provocou a morte do jovem francês e anunciam mais protestos para a próxima semana. O mais é provável é que o problema persista, pois é muito improvável que o governo alemão encontre alguma região do país disposta a acolher de bom grado os detritos atômicos definitivamente. Ecologistas alertam que o próprio transporte do material já envolve uma série de riscos.

Leia mais