1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Migração

União Europeia e Turquia chegam a acordo sobre crise de refugiados

Em troca de colaboração na crise migratória, europeus aceitam flexibilizar exigência de visto para cidadãos turcos. Turquia exige também ajuda financeira para conter onda de refugiados.

A União Europeia (UE) e a Turquia chegaram a um acordo sobre um plano comum de ação para a crise de refugiados, anunciou nesta sexta-feira (16/10) o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, após a cúpula que reuniu os chefes de Estado e de governo do bloco, em Bruxelas.

Segundo Juncker, foi acertado acelerar a flexibilização da exigência de visto para cidadãos turcos. O presidente ressaltou, no entanto, que a medida depende diretamente da eficácia na diminuição do fluxo de refugiados.

A Turquia exige também uma ajuda financeira de 3 bilhões de euros para conter o fluxo migratório, segundo fontes diplomáticas. Juncker afirmou que valores ainda não foram acertados. A UE teria oferecida ao governo turco 1 bilhão de euros para garantir a colaboração na crise migratória.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, reforçou que, em troca da flexibilização de vistos, a Turquia precisar pôr em prática o previsto no acordo, que "só tem sentido se a onda de refugiados for contida".

Estima-se que a Turquia, país vizinho à Síria, acolheu cerca de 2 milhões de refugiados em seu território. Segundo a chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, o governo turco investiu aproximadamente 7 bilhões de euros nos últimos anos para lidar com os refugiados.

Merkel afirmou que agora está sendo discutida a partilha dos encargos para os próximos anos e disse que todos os membros do bloco devem ajudar. Em troca da ajuda europeia, a Turquia deve garantir que irá melhorar a situação de refugiados no próprio país e reforçar o controle na fronteira com a Grécia, ressaltou a chanceler.

No domingo, Merkel viaja à Turquia. e um dos temas do encontro com o presidente Recep Tayyip Erdogan e o primeiro-ministro Ahmet Davutoglu será determinar um cronograma para a aplicação das medidas.

CN/dpa/rtr/afp

Leia mais