1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

União Européia adia assinatura de acordo com Sérvia

Bruxelas anuncia adiamento na véspera da assinatura do acordo de transição com o governo de Belgrado. Premiê sérvio critica que o documento é forma de pressão para que a Sérvia reconheça a independência do Kosovo.

default

Kostunica, primeiro-ministro sérvio

"Barreiras políticas" foi o motivo alegado por Olli Rehn, comissário da Ampliação da União Européia (UE), ao anunciar, nesta quarta-feira (06/02), o adiamento da assinatura do acordo de transição com a Sérvia, marcado para amanhã.

"Lamento muito que temos de adiar a assinatura", mas o acordo provisório sobre facilitação comercial e de viagens não está descartado, disse Rehn. Dois dias após a eleição presidencial vencida pelo candidato pró-UE, Boris Tadic, o primeiro-ministro sérvio, Vojislav Kostunica, rejeitou categoricamente o acordo com o bloco.

Missão civil vai ajudar Kosovo

Kostunica considera o documento uma forma de coação da União Européia para que a Sérvia reconheça a independência do Kosovo. A separação da província é esperada para este mês.

A maioria dos países da União Européia apóia a independência da província que pertence à Sérvia, mas cuja maioria dos habitantes é de origem albanesa. Na segunda-feira, Bruxelas tomou as últimas medidas legais para o envio de 1.800 policiais e juristas ao Kosovo, para ajudar no processo de autonomia da região.

Crise no governo em Belgrado

As divergências sobre as relações com a UE provocaram uma grave crise no governo sérvio. Com a reeleição de Tadic, seu Partido Democrático (DS) viu-se fortalecido na coalizão de governo com o Partido Democrático da Sérvia (DSS), de Kostunica.

O problema é que, se o acordo depender da aprovação do Parlamento, o DSS poderia derrubá-lo com a ajuda do partido ultranacionalista de Tomislav Nikolic, que foi o desafiante do presidente Tadic.

"Esta é uma situação extraordinariamente séria, o governo está paralisado", advertiu o ministro das Relações Exteriores, Vuk Jeremic, nesta quarta-feira.

Acordo de parceria bloqueado por dois países

A assinatura de outro documento, o importante acordo de associação entre a Sérvia e a União Européia e que seria o primeiro passo para o início oficial das negociações de ingresso do país no bloco, está sendo bloqueada pela Holanda e pela Bélgica, que impõem como condição a completa cooperação da Sérvia com o tribunal de crimes de guerra para a ex-Iugoslávia.

Rehn pretende pautar a assinatura do acordo de parceria na próxima reunião de ministros das Relações Exteriores da UE, prevista para 18 de fevereiro. (rw)

Leia mais