1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Uma bolsa de valores movida a cerveja

Imagine um lugar onde o preço da cerveja é flutuante e o crash da bolsa da valores é o evento mais esperado da noite. Na Alemanha, a lógica das bolsas é aplicada a bares, e os clientes são os (felizes) investidores.

default

No DAX-Bierbörse de Hildesheim, o painel indica os preços das bebidas no momento

O sistema é conhecido como Bierbörse – uma bolsa de valores de cerveja. Os bares que o adotam têm um marco inconfundível: um painel luminoso pendurado na parede mostra o preço atual das bebidas. A cada três minutos, aproximadamente, os valores mudam. Uns para cima, outros para baixo. Os clientes observam, atentos.

A Beck's está sendo muito vendida? Seu preço sobe. Ninguém comprou a Warsteiner nos últimos 15 minutos? Hora de dar o bote. Os preços variam de acordo com a procura, e a clientela, evidentemente, procura sempre fazer o melhor negócio.

"Tem gente que chega a comprar dez cervejas de uma vez", conta Jürgen Gerdau, que desenvolve softwares e presta consultoria para bares que querem adotar o sistema.

Crash bem-vindo

Bierbörse Bild 2

Ambiente de festa costuma acompanhar as bolsas de cerveja

Tais surtos consumistas acontecem principalmente após o crash da bolsa. Sim, a bolsa de valores do bar também quebra, e é então que os preços despencam. O momento costuma ser anunciado com alarde – as luzes se apagam, o painel começa a piscar, um sino toca e... os clientes correm para o bar, claro.

Só quem é realmente rápido se dá bem: tamanha procura faz os preços subirem de novo rapidamente após o crash. O momento é tão aguardado pelos clientes quanto temido por garçonetes e funcionários atrás do balcão.

"A quebra acontece pelo menos uma vez por noite, mas durante a semana é mais freqüente. Se o bar está muito cheio, fica difícil. Se todo mundo resolve comprar várias cervejas de uma vez, não há nem copos suficientes", conta Gerdau. "É como uma queima de estoque. Todo mundo se estapeando por uma pechincha."

Flutuação controlada por software

Há um limite para quanto os preços podem variar. Os softwares adotados em bares e restaurantes para determinar a oscilação dos preços permitem que os donos estabeleçam valores mínimos e máximos para cada bebida.

No Dax Bierbörse de Bielefeld, por exemplo, os preços dos oito tipos de cerveja oferecidos pela casa variam de 1,80 euro a 2,60 euros – "de acordo com o que os clientes estão pedindo", frisa o sócio Jörg Schuster.

Bier

O preço de uma cerveja pode variar em mais de um euro

Inaugurado em dezembro de 2006, o bar de Bielefeld é o mais novo da família Dax Bierbörse, que abriu o primeiro dos atuais quatro bares em Braunschweig, em 1994. Em 1999, foi aberto o Dax Bierbörse Hannover, talvez o mais conhecido da sociedade.

Além de incorporar a sigla do mercado de ações ao nome (DAX é a sigla para Deutscher Aktienindex – índice alemão de ações ), os bares fazem referências ao mundo das finanças na decoração, por exemplo com placas de Wall Street nas paredes. A quinta casa está sendo construída em Halle, na Saxônia-Anhalt, com proprietários diferentes, mas mesmo nome e concepção. A inauguração é prevista para agosto.

Invenção inglesa

Apesar de o nome falar em "bolsa da cerveja", bares que adotam o sistema costumam estendê-lo a todas as bebidas oferecidas. No Dax Bierbörse Bielefeld, por exemplo, todos os drinques têm preços flutuantes, do espumante à coca-cola. Depois da cerveja, o campeão de vendas é o wodka energie – mistura de vodca com energético.

"Geralmente os sistemas são desenvolvidos para comportar entre 20 e 30 artigos", conta Gerdau. Ele entrou no ramo em 1991. "A idéia das bolsas de cerveja veio dos ingleses, e nessa época começava a aparecer de forma muito incipiente na Alemanha. Olhamos o que já existia, aprimoramos e desenvolvemos um sistema próprio", explica ele.

Bierbörse Bild 3

O painel mostra que nem só cervejas estão no jogo: de bacardi a tequila

Gerdau aplicou a idéia pela primeira vez em um bar do qual era sócio em Kiel, em 1991. A partir daí, começou a ser procurado por empresários interessados – primeiro em Greifswald, depois em Braunschweig, em seguida em Berlim...

A idéia foi se disseminando, e o empresário passou a se concentrar no desenvolvimento de softwares e em prestar consultoria para os bares que queriam adotar o sistema. De lá para cá, vendeu cerca de 30 sistemas para diferentes lugares do país.

Bebedeira interativa

"O sistema não é, sozinho, uma garantia de que o negócio vai dar certo. Mas é uma grande ferramenta para isso, porque torna o negócio mais interessante, faz a clientela comentar a respeito", diz Gerdau. "Os clientes adoram. Eles têm participação ativa, se sentem desafiados a obter os melhores preços e se divertem muito no processo."

Segundo Jörg Schuster, o consumo de bebidas é mais alto nas Bierbörsen do que em bares normais. A dinâmica desafia os clientes. "Uma pessoa esperta e que não se atenha a uma só marca de cerveja consegue beber por bons preços a noite toda", diz Gerdau.

No bar Berliner Republik, na capital alemã, o sistema funciona desde 1996. E funciona muito bem, garante o gerente Frank Heelemann. "Temos movimento mesmo na segunda-feira, e é claro que a bolsa da cerveja ajuda a atrair. É o nosso highlight."

Durante o dia, o local é um bar e restaurante comum. A partir das 18h, a bolsa de cerveja entra em ação, e os preços dos 18 tipos de cerveja oferecidas pela casa, até então com o preço fixo de 2,50 euros, podem chegar a menos de 1,50 euro. Isso porque Heelemann optou por não estabelecer piso mínimo ou máximo para as cervejas – impera apenas a lei do mercado.

Leia mais