1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Uma bicampeã, uma surpresa e um morto na Maratona de Berlim

Mais de um milhão de pessoas aproveitaram a manhã ensolarada de domingo para assistir à terceira maior maratona do mundo, que este ano teve novo recorde de participantes. Marca de brasileiro em Berlim permanece imbatida.

default

Mais de 33 mil pessoas correram pelas ruas da capital alemã

Desta vez não houve quebra do recorde mundial de tempo. Nem por isso o público ficou decepcionado. A multidão vibrou ao ver cruzar em primeiro lugar, entre as mulheres, a japonesa Naoko Takahashi, que no ano passado havia conquistado os corações berlinenses ao vencer a prova reduzindo a melhor marca mundial em maratonas femininas. A campeã olímpica e bi de Berlim concluiu os pouco mais de 42 quilômetros em 2h21min48s. Assim, a japonesa receberá prêmio em dobro: 30 mil euros pela vitória, mais o mesmo valor por ter terminado em menos de 2h23min.

A conquista foi mais tranqüila que o esperado. A principal concorrente, Adriana Fernandez, não conseguiu mais acompanhar Takahashi a partir de metade da prova. A mexicana de 31 anos recupera-se fisicamente ainda de uma gravidez. A japonesa de 30 anos confessa: "Até o quilômetro 25, me mantive cautelosa, pois não me sentia muito bem. Depois fiquei mais rápida." Três quilômetros depois, Fernandez ficara para trás.

No masculino, a 29ª Maratona de Berlim teve de novo uma surpresa. O queniano Raymond Kipkoech desbancou os favoritos, seus conterrâneos Simon Biwott e Vicent Kipsos. Após manter-se discretamente no grupo de líderes durante toda a corrida, o rapaz de 22 anos disparou nos metros finais e cruzou a linha de chegada em 2h06min47s, quatro minutos a menos do que seu até então melhor tempo, mas 1min09s acima do recorde mundial do americano Khalid Khannouchi. A melhor marca em Berlim permanece sendo a do brasileiro Ronaldo da Costa em 1998: 2h06min05s.

A festa na capital alemã foi chamuscada pela primeira morte de um competidor em três anos. Pouco antes da chegada, um homem de 40 anos aproximadamente desfaleceu. Médicos ainda tentaram em vão reanimar o corredor, que supõe-se ter sofrido um infarto do coração. Melhor sorte teve um francês de 55 anos, que teve um colapso circulatório, mas foi reanimado e passa bem no hospital. Entre os patinadores inline, uma colisão com 20 participantes resultou no fim da prova para apenas um deles, devido a uma fratura.

Na competição em cadeira de rodas, dois corredores suíços festejaram o primeiro lugar: Edith Hunkeler (feminino) e Heinz Frey (masculino). Esta foi a 15ª vitória de Frey numa maratona para cadeirantes, a 12ª consecutiva.