1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Um templo improvável para mercadores

Como qualquer outro evento de grande porte, a Jornada Mundial da Juventude católica move montanhas de dinheiro. Apesar de o faturamento com suvenires religiosos ser promissor, público é jovem demais para render de fato.

default

'Somos papa': manchete do jornal 'Bild' para noticiar escolha de Bento 16 vira 'button' na JMJ católica

A associação encarregada pela Igreja Católica de organizar a Jornada Mundial da Juventude 2005, realizada de 15 a 21 de agosto em Colônia e redondezas, dispõe de aproximadamente cem milhões de euros.

Além dos custos de pessoal, a maior parte do orçamento é destinada para a construção do chamado "Campo de Maria", onde o papa fará a missa de encerramento, e para a alimentação de cerca de 400 mil peregrinos que se inscreveram para o evento.

Vigília, dia e noite

Weltjugendtag - Zeltlager Düsseldorf - Galerie: 2/10

Acampamento em Düsseldorf para os participantes da JMJ católica 2005

Este evento, que – segundo as previsões – corresponde à maior concentração de pessoas da história da Alemanha, vai render não só para as empresas encarregadas da infra-estrutura, mas também para os comerciantes da região. Por pressão do comércio local, a prefeitura de Colônia ampliou o horário de abertura das lojas. O horário de funcionamento dos restaurantes também foi modificado em função do evento. Isso também vale para Bonn e Düsseldorf, cidades envolvidas na programação da JMJ 2005.

Apesar de este evento de massa católico contar com a participação de quase um milhão de pessoas e de os estabelecimentos comerciais poderem ficar abertos até meia-noite em determinados dias, os comerciantes do centro da cidade não têm grandes expectativas de lucro com os peregrinos.

Rezar, passear e fazer compras

"Temos que levar em conta que a clientela que está vindo para Colônia não tem muito dinheiro no bolso", afirma Uwe Klein, diretor da Associação de Comércio de Colônia: "A prioridade é prover os visitantes com o necessário, ou seja, comida e bebida. E claro que também há demanda para suvenires".

Weltjugendtag in Köln - Schaufenster einer Buchhandlung

Livreiros de Colônia expõem livros sobre o papa nas vitrines

Sempre é mais fácil de prever o número de pessoas que participam de um evento do que o quanto eles vão consumir. Enquanto um turista normal consome de 60 a 100 euros em média, os jovens peregrinos não têm um poder aquisitivo muito expressivo.

Mas peregrino nem sempre é peregrino. Segundo o diretor da sede renana da Associação Alemã de Hotelaria e Gastronomia, Matthias Johnen, a experiência com outras jornadas mundiais católicas mostra que "um terço das pessoas vem realmente para rezar, um terço vai passar o tempo fazendo turismo e um terço vem disposto a consumir e fazer compras".

O hábito faz o monge

Weltjugendtag T-Shirt - I Love Jesus

Camisetas 'I Love Jesus' à venda na JMJ 2005

Mas as pessoas que viajaram para o evento com uma intenção prioritariamente religiosa também são consumidores em potencial. Os sacerdotes a participarem da missa de encerramento da JMJ católica aparecerão com vestes uniformizadas. Vestimentas de teólogos leigos podem custar 200 euros, mas também há variantes cerimoniais de até cinco mil euros.

O vigário da cidade de Solingen explica que as vestimentas litúrgicas são muito importantes, pois a liturgia deve atingir todos os sentidos: "Em todo lugar em que nossa mensagem puder chegar, ela pode ser apreendida com os cinco sentidos".

Leia mais