1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Turismo

Um passeio à Roma antiga

Os romanos deixaram muitos vestígios dos 400 anos em que ocuparam o que hoje é território alemão. A herança deixada por eles pode ser vista na rota românica, entre Xanten e Detmold, no extremo oeste do país.

default

Xanten no tempo dos romanos

Xanten, no extremo oeste alemão, é uma antiga cidade romana repleta de ruínas arqueológicas. Por mais de 2 mil anos, a charmosa cidade do Baixo Reno conquista jovens e adultos. Tudo começou quando os romanos construíram a Colônia Ulpia Trajana, um dos seus maiores povoados da Baixa Germânia. Atualmente, Xanten mistura o estilo cosmopolita em suas ruas medievais à volta de sua Catedral.

Archäologischer Park Xanten

Portal romano no parque arqueológico de Xanten

Às portas desta cidade, abandonada definitivamente pela população romana no século IV, existe uma sepultura cultuada já desde a Idade Média. Trata-se, segundo a lenda, da sepultura do mártir romano Victor. A busca sistemática por remanescentes romanos deu-se a partir do século 16, pois cada vez que os agricultores preparavam suas terras, encontravam novos sítios arqueológicos.

Hoje, neste museu a céu aberto, pode-se acompanhar passo a passo o dia-a-dia dos romanos de dois mil anos atrás.

Sistema inteligente de canalização e esgoto A Colônia Ulpia Trajana foi fundada pelo imperador Trajanus no ano 100 d.C. Ali moravam cerca de 10 mil pessoas, em grande parte comerciantes, artesãos, artistas e funcionários públicos, a maioria acompanhada de suas famílias. Apesar da distância em relação à sede do império, gozavam uma vida luxuosa como na velha Roma.

Um inteligente sistema de canalização garantia o abastecimento com água potável e a eliminação do esgoto. Afinal, já naqueles tempos, higiene e limpeza eram primordiais para os romanos.

A colônia romana teve seu fim em 450, quando os francos conquistaram a Baixa Germânia.

Parque arqueológico de Xanten

Em 1977, foi inaugurado o Parque Arqueológico da cidade, exatamente onde o imperador Trajano (53 a 117 d.C.) havia fundado a terceira maior cidade romana ao norte da Itália, depois de Colônia e Trier. Na área de 73 hectares de extensão, o turista tem oportunidade de passear pelas mesmas trilhas arenosas de quase dois mil anos atrás.

As principais atrações para os visitantes, contudo, são o anfiteatro parcialmente reconstruído, a cantina, com receitas dos pratos servidos naqueles tempos, o suntuoso templo no porto e a muralha da cidade.

Nas últimas décadas, vem crescendo a importância do parque como modelo para restaurações e reconstruções fiéis de casas, muralhas e templos na Europa. Durante a Idade Média, os saqueadores haviam deixado pouquíssimos vestígios dessa metrópole romana ao norte dos Alpes, sobre a qual nunca foi edificada outra cidade.

Archäologischer Park Xanten, Innenraum

Dependências internas do parque arqueológico de Xanten

Foi preciso que os pesquisadores e reconstrutores desenvolvessem novos métodos de trabalho para trazer o passado à tona. Um exemplo deste esforço bem-sucedido é a extraordinária área das termas, cujos alicerces estão expostos sob uma construção de vidro e aço, que imita de forma perfeita as dimensões gigantescas da antiga área balneária, suas cúpulas, abóbadas e telhados.

Interessantes também, tanto para crianças como para adultos, são as mesas de madeira, com jogos de tabuleiro romanos. Mas a vida dos romanos antigos não era só descansar nas termas, ver gladiadores na arena, comer e jogar. Outros detalhes da vida cotidiana também podem ser vistas em Xanten. Por exemplo, o sistema de canalização dos romanos, com a sua cloaca, que está em desuso desde que os romanos deixaram a cidade.

Leia mais

Links externos