1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

UE vive auge da imigração ilegal, diz jornal

Diário alemão "Die Welt", afirma que número de imigrantes ilegais no bloco europeu em 2015 é o mais alto em 28 anos, chegando 1,28 milhão. Instituto prevê aumento do desemprego na Alemanha devido ao fluxo migratório.

Uma reportagem publicada nesta segunda-feira (14/12) pelo jornal alemão Die Welt, afirma que 1,28 milhão de pessoas cruzaram ilegalmente as fronteiras da União Europeia entre janeiro e novembro de 2015.

O jornal cita um relatório da Comissão Europeia, que deverá ser divulgado nesta terça-feira, onde consta que, nos últimos 11 meses, a imigração ilegal atingiu o nível mais alto em 28 anos. O estudo registra um aumento significativo em relação ao período de 2009 a 2014, quando foram contabilizadas 813 mil entradas ilegais.

Segundo Die Welt, o relatório da Comissão Europeia pede maior eficiência no gerenciamento das fronteiras externas da EU e alerta que a estratégia em vigor "se provou totalmente insuficiente para garantir a segurança efetiva e integrada de nossas fronteiras".

O documento alerta para as centenas de milhares de refugiados que conseguiram entrar ilegalmente no bloco europeu sem serem identificados, registrados e sem passar por verificações de segurança.

A Comissão Europeia adverte que a crise migratória ameaça o futuro do acordo de Schengen, que eliminou os controles nas fronteiras entre os países do bloco europeu, e conclama os líderes europeus a garantir "uma política comum e fortalecida para assegurar as fronteiras externas, com base nos princípios da responsabilidade comum compartilhada".

IFW prevê aumento do desemprego na Alemanha

Também nesta segunda-feira, o jornal alemão Bild sugeriu que, até 2017, o fluxo migratório poderá aumentar em 376 mil o número de pessoas registradas como desempregados na Alemanha.

A reportagem, baseada em dados do instituto econômico IFW, da cidade alemã de Kiel, afirma que apenas 94 mil destes terão a possibilidade de conseguir trabalho em tempo integral.

O IFW prevê que a Alemanha deverá receber um total de 1,1 milhão de refugiados em 2015, e mais um milhão em 2016 e 2017. Destes, em torno de 600 mil poderão chegar à condição de requerente de asilo, o que lhes permitiria permanecer no país.

O jornal afirma que, apesar de 470 mil desse total estarem em idade ativa, a maioria irá enfrentar dificuldades para encontrar trabalho permanente.

RC/dpa/rtr/kna

Leia mais