1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

UE triplica verba de missões para resgate de refugiados

Líderes da União Europeia aumentam orçamento para programa de vigilância marítima e se comprometem em ceder mais navios e aeronaves para operações de patrulha e salvamento no Mediterrâneo.

default

Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu (dir.), e Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia

Os líderes da União Europeia anunciaram nesta quinta-feira (23/04) que vão triplicar as verbas da missão de vigilância marítima Triton, que atualmente é de cerca de 3 milhões de euros mensais, para reforçar o resgate de refugiados no Mediterrâneo.

Em reunião de emergência dos líderes europeus em Bruxelas para discutir a crise migratória, países-membros assumiram o compromisso de ceder mais navios, aviões e helicópteros. Desde o início do ano, quase 2 mil pessoas morreram ao tentar chegar à Europa e a ONU pressionou a UE para tomar medidas em prol dos refugiados.

"Queremos avançar rapidamente. Então, vamos triplicar os recursos financeiros para as relevantes missões da Frontex [Agência Europeia de Gestão das Fronteiras Externas], de forma a melhorá-la", afirmou a chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, após o encontro em Bruxelas.

Ela disse que se for verificado que os fundos não são suficientes, o tema voltará a ser debatido pelos chefes de Estado e de governo dos países-membros da União Europeia. "Aqui, dinheiro não deve ser um obstáculo", disse a líder alemã.

Alemanha e França se comprometeram em enviar dois navios, cada. O Reino Unido prometeu deslocar três embarcações para o Mediterrâneo, e outros países-membros deverão direcionar mais barcos e helicópteros para serem usados na patrulha das fronteiras marítimas e no resgate de imigrantes.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, falou que os líderes da União Europeia pediram que a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, prepare ações para capturar e destruir os barcos dos traficantes de pessoas "em linha com a lei internacional e os direitos humanos".

Tusk lembrou que salvar a vida de pessoas inocentes é a prioridade número um da União Europeia. Ajudar, porém, não significa somente resgatar os refugiados do Mediterrâneo, mas também parar os traficantes e lutar contra o tráfico de pessoas.

"É preciso desencorajar também os imigrantes, o que significa uma maior cooperação sobretudo com países próximos à Líbia", citou.

Entre outras ações previstas estão a agilização dos processos de visto e asilo; e rapidez no envio para os países de origem os requerentes que não conseguem receber o direito de permanência no bloco europeu.

FC/rtr/ap/efe/afp/dpa

Leia mais