UE suspende negociações para acordo estratégico com a Rússia | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 01.09.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

UE suspende negociações para acordo estratégico com a Rússia

Decisão é tomada durante reunião emergencial de cúpula em Bruxelas. Sarkozy anuncia novas viagens a Moscou e Tbilisi para mediar o conflito entre a Rússia e a Geórgia.

default

Sarkozy e Barroso anunciam decisão após a cúpula de líderes da União Européia

Os líderes da União Européia (UE), reunidos em caráter emergencial em Bruxelas nesta segunda-feira (01/09), decidiram suspender as negociações com a Rússia para um novo acordo de cooperação estratégica.

Segundo o presidente da Comissão Européia, José Manual Durão Barroso, as negociações estão suspensas enquanto o governo russo não retirar suas tropas da Geórgia, conforme combinado no acordo de cessar-fogo.

A próxima rodada de negociações entre a UE e a Rússia para o novo acordo de parceria está prevista para os dias 15 e 16 de setembro. Do lado europeu, o acordo tem por objetivo garantir uma maior segurança no fornecimento de energia pela Rússia.

Sarkozy: nova viagem

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, que convocou a reunião extraordinária para discutir a questão da Geórgia, disse que a Rússia deve respeitar a integridade territorial do país vizinho. "O comportamento russo, com uma reação militar desproporcional, causou profundas preocupações na Europa sobre o que a Rússia quer."

Sarkozy viajará novamente para a Rússia e a Geórgia com o objetivo de encontrar uma solução para a crise. A viagem está marcada para o próximo dia 8 de setembro. O presidente francês será acompanhado por Barroso e pelo chefe da diplomacia européia, Javier Solana.

De acordo com Sarkozy, a UE é unânime em apoiar a plena implementação do acordo de seis pontos negociado por ele com os governos em Moscou e Tbilisi. "Esse plano é o único documento reconhecido pelos dois lados", afirmou.

Leia mais